Como tratar a osteoporose?

Um problema bastante comum, principalmente, entre as mulheres é a osteoporose. De modo geral, ela pode ser prevenida com uma alimentação adequada e com a prática regular de exercícios físicos. Uma vez que se inicia, deve receber tratamento específico para conter seu avanço e garantir qualidade de vida ao paciente. Vamos saber mais sobre a osteoporose?

Osteoporose: o que é a doença?

É importante que você conheça um pouco mais sobre osteoporose. Ela se desenvolve em decorrência da perda ou da produção insuficiente de massa óssea, o que deixa os ossos mais fracos e sujeitos a fraturas e/ou dores.

Os ossos, assim como os demais tecidos do nosso corpo, passam por constante renovação. Quando essa renovação deixa de acontecer ou quando o organismo passa a reabsorver o material dos ossos antigos, surge a osteoporose.

Como é uma doença que não possui sintomas bem perceptíveis, a descoberta ocorre com a realização de um exame chamado densitometria óssea ou, em uma pior hipótese, em decorrência de alguma fratura.

Geralmente, a osteoporose avança de forma silenciosa. Como sinal de seu agravamento, podem ocorrer dores na coluna e fraturas, além da diminuição da altura, devido ao desgaste dos ossos ou encurvamento da postura.

Como tratar a osteoporose

Mais comum em mulheres a partir dos 50 anos e nos homens a partir dos 70, a osteoporose surge como uma das várias decorrências da menopausa, no caso das mulheres, e do envelhecimento de ambos. Ela é ocasionada principalmente pela falta de cálcio e de vitamina D, além de outros agravantes, como sedentarismo e doenças reumáticas. Veja algumas opções de tratamento!

  • Medicamentos específicos

O uso de medicamentos depende muito da causa e do estágio da doença. Podem ser indicadas, por exemplo, substâncias que atuam como moduladores do hormônio estrogênio, auxiliando no ganho de massa óssea.

Os Bisfosfonatos contribuem para a prevenção de faturas e inibem a reabsorção óssea. Já os medicamentos chamados biológicos atuam no equilíbrio da renovação óssea, conhecido também como tratamento imunológico.

  • Terapias de reposição e suplementação

Terapias de reposição de hormônios também são uma excelente alternativa para a osteoporose. O estrogênio, por exemplo, tem sua produção reduzida com a chegada da menopausa, gerando a perda óssea.

Essa terapia precisa de cuidados, quando se torna muito prolongada, porque apresenta riscos de câncer de mama em mulheres com predisposição.

Já a suplementação de cálcio e vitamina D auxiliam no fortalecimento dos ossos e na prevenção da perda de massa óssea. A vitamina D contribui com a absorção do cálcio pelos rins e intestinos, equilibrando os níveis de cálcio no sangue e a reabsorção óssea, evitando o risco de fraturas.

E se não tratar, o que acontece?

Com a perda de massa óssea, os ossos ficam mais finos e enfraquecidos, estando mais sujeitos a fraturas. A fratura de quadril, por exemplo, tem um alto índice de ocorrência entre pessoas que têm osteoporose. As sequelas vão desde a dificuldade de locomoção até a morte.

As micro fraturas também são uma consequência da falta de tratamento da osteoporose. Elas podem ocorrer, principalmente, em idosos com um trauma simples ou mesmo com o aumento de peso. Muitas vezes essas micro fraturas são percebidas apenas pelas dores que provocam.

Uma mudança de estilo de vida pode ser uma maneira de retardar o aparecimento da osteoporose. Uma dieta saudável e bem equilibrada garante a ingestão de vitaminas e nutrientes necessários para o fortalecimento dos ossos, assim como a prática regular de exercícios físicos promove maior oxigenação do sangue e o fortalecimento dos músculos que dão suporte e proteção aos ossos.

Se este artigo chamou sua atenção para a prevenção desta doença, veja agora os 10 Alimentos que ajudam a prevenir a osteoporose.

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright