A utilização de contraste em exames de RM e TC - IMEB

A utilização de contraste em exames de RM e TC

O ucontrasteso de contraste endovenoso em exames de Ressonância Magnética e Tomografia Computadorizada é muitas vezes necessário e decisivo no diagnóstico de algumas doenças. Serve para aumentar a diferença entre e os tecidos normais e patológicos, melhorando a qualidade das imagens e a segurança no diagnóstico. É indicado principalmente na investigação, diferenciação, estadiamento  e controle de tumores, na caracterização de infecções, inflamações, abscessos, na pesquisa de fibrose, na suspeita de capsulite adesiva, entre outras. A impregnação do contraste paramagnético (RM) ou não iônico (TC) pelos tecidos e as características desta captação vão dirigir o diagnóstico e determinar se a lesão em estudo é variação do normal, pseudotumoral,  cística, sólida, hipo ou hipervascularizada, se representa abscesso ou apenas tecido inflamatório não liquefeito (não passível de drenagem) etc. São informações que ajudam o radiologista a determinar  o diagnóstico preciso, o grau de agressividade e o prognóstico da lesão. Por outro lado, em vários casos o contraste não se faz necessário para o diagnóstico.  É comum o radiologista receber solicitações de exames especificando “sem contraste” quando o mesmo se faz necessário ou, em outros casos, “com contraste” quando o uso do mesmo não trará informações adicionais. A sugestão é que no caso de dúvida colocar “contraste se necessário” e o radiologista decidirá a relevância de injetar ou não, dependendo do caso em estudo. Há exames que o contraste é feito de rotina, como em RM de mão, punho, quadril,  antepé, articulações sacro-iliacas, sínfise púbica.  Não usamos contraste de rotina em RM de ombro, joelho,tornozelo, coluna, salvo casos específicos. O uso de contraste em neuro e abdome segue as mesmas regras acima, sendo feito de rotina na suspeita de patologias tumorais, infecciosas e inflamatórias. No estudo de RM e CT do abdome e pelve o contraste é usado rotineiramente, salvo em alguns casos de colangioressonância ou CT na pesquisa de litíase. Ressaltamos que o contraste usado em RM é extremamente seguro e quase nunca provoca reações alérgicas. O contraste a ser solicitado em TC é o não iônico, pois é muito mais seguro em comparação ao iodado.

Leia também: Tomografia com Contraste é perigoso? Entenda os riscos.

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Destaque Notícias

13 de outubro de 2015

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas