Depressão e ansiedade levam ao fumo, sedentarismo e má alimentação - IMEB

Depressão e ansiedade levam ao fumo, sedentarismo e má alimentação

Resultado de imagem para ansiedade

A depressão é a doença que mais tira anos saudáveis do brasileiro. E quando falta tranquilidade, sobra ansiedade. Tem ainda a crise econômica, responsável pelo aumento de até 30% no número de infartos nos prontos-socorros.

O psiquiatra Daniel Barros fala sobre um novo remédio para a depressão, aplicado na veia, que não demora para fazer efeito como os antidepressivos normais.

Ciclo vicioso
É impressionante ver como os brasileiros estão sofrendo cada vez mais com a ansiedade, um transtorno que afeta nosso coração, a começar pelos hábitos.

Para cada fardo, mais fatores de risco estão relacionados às doenças cardiovasculares: pessoas com depressão e ansiedade tendem a ter hábitos piores, como o tabagismo, a má alimentação e o sedentarismo.

Os números da depressão
O Brasil possui uma estimativa de 4,5 milhões de pessoas diagnosticadas com algum tipo de câncer, mas os diagnósticos de transtornos mentais, como a ansiedade e a depressão, entre outros, já somam 10 milhões de casos. O problema afeta a vida de muita gente e de quem está ao redor também.

Infartos
Já o número de infartos no Hospital do Coração, em SP, subiu 30% em um ano. Segundo o coordenador médico do pronto socorro, Dr. Edgard Ferreira, o público mais atingido é o dos homens, na faixa dos 40 a 60 anos. Na maioria dos casos foram relatados casos de estresse por perda do emprego ou insegurança no trabalho.

Sintomas de ansiedade

A ansiedade e os seus sintomas  manifestam-se de muitas formas, e porque cada pessoa tem uma química única que a compõem, o tipo, diversidade, intensidade e frequência dos sintomas da ansiedade variam de pessoa para pessoa. A diversidade de manifestações, muitas vezes pode suscitar algumas dúvidas sobre o que é a Ansiedade? Acontece, por vezes haver alguma confusão em perceber a diferença entre a ansiedade e depressão e em que diferem? Por exemplo, uma pessoa pode ter apenas um sintoma de ansiedade moderada, enquanto que outra pode ter todos os sintomas de ansiedade e com grande intensidade. A ansiedade pode confundir-se com depressão, no entanto os sintomas da depressão são mais comportamentais e podem incluir os sintomas da ansiedade.

Todas as combinações de sintomas de ansiedade são comuns. Os sintomas são muitos, no entanto apresentamos aqui os mais comuns:

• Intensificação e afluência de alergias
• Tremores
• Dores de costas
• Rigidez
• Inflamações
• Espasmos
• Imobilidade
• Palidez, falta de cor, enrubescimento
• Mudança de temperatura de corpo – Descida ou subida abrupta
• Dores no peito
• Necessidade de açúcar, doces, ou chocolate
• Sensações de ardor
• Fadiga crônica
• Dificuldade em falar e andar
• Excesso de energia, muita agitação
• Contrações musculares, tensão e Dores Musculares Persistentes
• Palpitações
• Sensação de que se está a cair
• Necessidade frequente de urinar
• Frio
• Dormência e formigueiro, perda de sensibilidade
• Dificuldade em respirar
• Tonturas
• Redução da capacidade auditiva
• Despersonalização
• Pensamentos, melodias, conceitos persistentes
• Vazio emocional
• Engasgue
• Náuseas
• Falta de apetite ou de paladar

Leia também: Ansiedade: 8 sinais que merecem atenção

Sintomas de Depressão

São sintomas de depressão:

  • Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia
  • Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas
  • Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia
  • Falta de vontade e indecisão
  • Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio
  • Pessimismo, ideias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte.
  • A pessoa pode desejar morrer, planejar uma forma de morrer ou tentar suicídio
  • Interpretação distorcida e negativa da realidade: tudo é visto sob a ótica depressiva, um tom “cinzento” para si, os outros e o seu mundo
  • Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento
  • Diminuição do desempenho sexual (pode até manter atividade sexual, mas sem a conotação prazerosa habitual) e da libido
  • Perda ou aumento do apetite e do peso
  • Insônia (dificuldade de conciliar o sono, múltiplos despertares ou sensação de sono muito superficial), despertar matinal precoce (geralmente duas horas antes do horário habitual) ou, menos frequentemente, aumento do sono (dorme demais e mesmo assim fica com sono a maior parte do tempo)
  • Dores e outros sintomas físicos não justificados por problemas médicos, como dores de barriga, má digestão, azia, diarreia, constipação, flatulência, tensão na nuca e nos ombros, dor de cabeça ou no corpo, sensação de corpo pesado ou de pressão no peito, entre outros.
Leia também:
Setembro Amarelo: uma luta pela vida

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Destaque Notícias

8 de novembro de 2016

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas