Dia 26 de Abril: Dia Nacional de Combate a Hipertensão - saiba como se prevenir - IMEB

Dia 26 de Abril: Dia Nacional de Combate a Hipertensão - saiba como se prevenir

Hoje é comemorado o Dia Nacional de Prevenção e Combate a Hipertensão Arterial. Para lembrar a data e alertar a população dos perigos da pressão alta, saiba como prevenir e controlar a doença crônica não transmissível que atinge, em média, 25% da população brasileira, chegando a mais de 50% na terceira idade e a 5% de crianças e adolescentes no Brasil.

Pressão alta é um mal silencioso. A ausência de sintomas atrapalha o diagnóstico e ele, muitas vezes, só é feito quando há complicações. A melhor maneira de descobrir se é hipertenso é aferindo a pressão com regularidade de, no mínimo, uma vez por ano. A hipertensão ocorre quando a pressão arterial está acima do limite considerado normal. Ou seja, quando a máxima está em 120 e a mínima em 80 milímetros de mercúrio, conhecido popularmente como 12 por 8.

A coordenadora-geral de Áreas Técnicas do Ministério da Saúde, Patrícia Sampaio, explica que a doença não tem uma causa única: “Ela tem fatores específicos que podem levar à hipertensão. O sobrepeso e a obesidade, por exemplo, são fatores de risco para a pessoa desenvolver a hipertensão arterial. A ingestão excessiva de sal e o sedentarismo também. E apesar de não ser uma doença genética, se é mais comum na família a pessoa sofre um risco aumentado de ter pressão alta”.

Antônio Arles, 32 anos, descobriu que era hipertenso aos 18 anos quando foi servir ao exército. Durante a realização dos exames necessários para o alistamento, foi diagnosticada a doença crônica. A hipertensão de Antônio é hereditária porque os pais dele também são hipertensos. Ele conta como faz para controlar a doença: “Aqui em casa nós sempre usamos pouco sal, mas diminuímos mais ainda quando eu descobri que era hipertenso também. Faço dieta restritiva de sódio, e não é só diminuindo o sal de cozinha. Diminuo nos produtos industrializados também. Existem refrigerantes, sucos industrializados e coisas que você nem imagina que tenha sódio”.

Antônio não teve a oportunidade de evitar a doença, pois ela se manifestou de maneira hereditária. Entretanto, a hipertensão surge, geralmente, a partir de um estilo de vida não saudável. Para prevenir e controlar a pressão alta é importante que a pessoa pratique atividades físicas regularmente; mantenha o peso ideal, evitando a obesidade; adote uma alimentação saudável diminuindo o sal e as frituras, e aumentando as frutas, legumes e verduras; reduza o consumo de álcool; não fume; evite o estresse. Lembrando que quem tem hipertensão não pode interromper o tratamento e quem não é hipertenso deve aferir a pressão pelo menos uma vez por ano.

O Ministério da Saúde desenvolve o Programa Academia da Saúde, em parceria com as secretarias municipais e estaduais de saúde, para estimular a prática de atividades físicas pela população. A iniciativa prevê a implantação de polos com infraestrutura, equipamentos e profissionais qualificados para a orientação de práticas corporais, atividades físicas e lazer. Atualmente, há mais de 2,8 mil polos habilitados para a construção das academias.

Leia também:

Má alimentação: consequências, riscos e doenças que pode causar

Sódio

Resultado de imagem para sodio

O sódio regula a quantidade de líquidos que ficam dentro e fora das células. Quando há excesso do nutriente no sangue, ocorre uma alteração no equilíbrio entre esses líquidos sobrecarregando o coração e os rins, situação que pode levar à hipertensão. Ciente disso, o Ministério da Saúde firmou um acordo com a indústria alimentícia que prevê a redução gradual do teor de sódio em 16 categorias de alimentos. A previsão é de que, até 2020, estejam fora das prateleiras mais de 20 mil toneladas de sódio.

Se o consumo for reduzido para a recomendação diária da Organização Mundial de Saúde (OMS), a ingestão deve ser reduzida para menos de 5g por pessoa diariamente. Estima-se que 1,5 milhão de brasileiros não precisariam de medicação para hipertensão e a expectativa de vida seria aumentada em até quatro anos.

Perigos da doença

“Tenho aparelho de aferir a pressão em casa e quando sinto dor de cabeça ou qualquer sensação estranha no corpo, a primeira coisa que eu faço é medir a pressão para ver se está tudo bem”. Pessoas com pressão arterial alta estão mais predispostas a ter comprometimento vascular cerebral e cardíaco. Na hipertensão acontece o estreitamento dos vasos e, por isso, o coração precisa fazer mais força para bombear o sangue, ficando hipertrofiado e comprometendo a circulação sanguínea. Esse estreitamento também é responsável por diminuir o fluxo de sangue no cérebro.

 “Hipertensão arterial não tem cura. É uma doença crônica e tem tratamento. A pessoa que tem pressão alta pode ter uma vida normal, mas é preciso mudar alguns hábitos de vida. A chance de um hipertenso que abusa do álcool ter um evento cardiovascular é maior do que de uma pessoa que não faz abuso do uso de álcool, por exemplo”, lembra Patrícia.

Medicamentos

“Além da dieta com pouco sódio, tomo medicamento regularmente. Pego essa medicação gratuitamente na farmácia popular e tomo duas vezes ao dia desde que descobri a doença e vai ser assim para o resto da vida”, garante Antônio.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente todas as classes de medicamentos necessários para o controle da hipertensão arterial. O programa Aqui Tem Farmácia Popular também ampliou a gratuidade de medicamentos para hipertensos. Hoje, são mais de 15 mil farmácias e drogarias conveniadas ao programa.

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Destaque Notícias

26 de abril de 2017

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas