Dieta rica em açúcar aumenta o colesterol ruim

Todo açúcar engorda, o que difere é a quantidade de nutrientes e minerais.
Quanto mais branco o açúcar, menos nutrientes e minerais ele tem.

A Organização Mundial de Saúde já avisou que o brasileiro está comendo mais açúcar do que deveria. Será que trocar o tipo ajuda?

E tem ainda a diabetes gestacional. Você sabia que bebês que nascem muito grandes podem ter excesso de açúcar no sangue?

A nutricionista Rosana Raele e o cardiologista e consultor de saúde Roberto Kalil explicam também a relação entre o açúcar e o colesterol.

Dr. Kalil diz que a sobrecarga de açúcar estimula a liberação de insulina, que é o hormônio que armazena o alimento e, assim, a gordura é armazenada, aumentando o colesterol. O açúcar é um componente que age de forma indireta.

Dra. Rosana explica que quanto mais branco o açúcar, menos nutrientes ele tem, então o açúcar demerara e o mascavo são opções melhores que o refinado e o de confeiteiro, por exemplo. O mascavo não passa pelo processo de refinamento, é o mais escuro, portanto o que preserva mais os nutrientes e minerais. Ela explica também que outras opções para adoçar são o melado de cana e o agave.

Um estudo publicado no Journal of American Medical Association sugere que, assim como uma dieta rica em gordura pode aumentar seus níveis de triglicerídeos e colesterol, a ingestão de açúcar também pode afetar as taxas de lipídios. Para a realização do estudo, foram analisados os níveis de lipídios no sangue em mais de seis mil homens e mulheres adultos.

Os participantes do estudo foram divididos em cinco grupos de acordo com a quantidade de açúcar e adoçantes calóricos que consumiam diariamente. Os pesquisadores descobriram que pessoas que consumiam mais açúcar tinham maior propensão de ter uma doença cardiovascular. Esse é o primeiro estudo do tipo para examinar a associação entre o consumo de açúcares adicionados e as medidas de lipídios, triglicérides e colesterol.

Os cientistas não sabem ao certo que processo está envolvido nessa ligação do açúcar com o colesterol, pois até hoje, o que se sabia era a associação entre o consumo de açúcar e o diabetes. Nos Estados Unidos, o consumo total de açúcar aumentou substancialmente nas últimas décadas, em grande parte devido a um aumento da ingestão de alimentos processados ou preparados para aumentar a o sabor desses alimentos.

No estudo, o grupo de maior consumo ingeria uma média de 46 colheres de chá de açúcares “escondidos” nos alimentos por dia. O grupo de menor consumo ingeria uma média de apenas cerca de três colheres de chá por dia.

Uma dieta balanceada pode ser a solução para muitos problemas de saúde e defesa do organismo. E quando se fala de colesterol alto, isso não é diferente. O colesterol nada mais é do que uma substância gordurosa que é encontrada naturalmente no corpo. Ele tem um papel essencial para manter um bom funcionamento de todas as células. Porém, o excesso dessa gordura é altamente perigoso para o corpo.

As doenças cardiovasculares são um exemplo disso. O colesterol ruim (LDL) deve ser mantido sempre menor do que o bom (HDL). Isso porque o ruim se deposita nas artérias, causando o entupimento delas – diminuindo o fluxo de sangue para órgãos importantes como, por exemplo, o coração. Enquanto isso, o bom colesterol retira o mau colesterol das artérias, tendo a função de levá-lo para o fígado onde será eliminado.

Para evitar que esses ricos se apresentem, o ideal é manter os padrões de uma alimentação saudável – que seja pobre em açúcar e gorduras – aliado à prática regular de exercícios físicos. Assim, a rotina de vida sedentária precisa ser esquecida para manter o corpo são. Mas, segundo a nutricionista Dafne Oliveira, existem alguns alimentos que, ao serem incluídos na dieta, podem dar uma forcinha para que os níveis de colesterol fiquem bons.

7 alimentos que reduzem o colesterol ruim e elevam o colesterol bom

Peixes (como sardinha e arenque): ricos em ômega 3, uma gordura poli insaturada que ajuda a abaixar o colesterol ruim e os triglicerídeos, aumentando também os níveis de colesterol bom.

Oleaginosas (como amêndoas, castanhas e nozes): esses alimentos possuem gorduras mono e poliinsaturadas, além de fornecerem vitaminas e minerais antioxidantes como a vitamina E, o selênio, o magnésio e o zinco. A presença desses nutrientes ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim.

Semente de abóbora: a abóbora já é uma hortaliça que oferece muitos nutrientes ao organismo, e a sua semente também ajuda na busca de uma vida saudável. Essas sementes são ricas em gorduras monoinsaturadas e beta-sitosterol, que ajudam a aumentar o colesterol bom e, consequentemente, reduz o mau.

Abacate: essa deliciosa fruta também é rica em gorduras monoinsaturadas e beta-sitosterol, que ajudam a regular os níveis de colesterol.

Linhaça e chia: além de serem fontes vegetais de ômega 3, que ajudam com o colesterol, esses alimentos também são ótimas fontes de fibras, que reduzem a absorção de gordura e colesterol.

Azeite de oliva extravirgem: esse popular tempero entre os brasileiros é uma ótima maneira de reduzir o colesterol ruim pois é rico em ômega 9, uma gordura monoinsaturada que reduz os níveis de colesterol LDL.

Alho: este é outro que é muito usado como tempero na culinária brasileira e que pode ajudar a reduzir tanto os níveis de colesterol ruim e de triglicérides pois possui uma substância chamada de alicina.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029