Salmão pode ser um alimento cancerígeno, afirmam oncologistas - IMEB

Salmão pode ser um alimento cancerígeno, afirmam oncologistas

Há cerca de 3 anos cientistas e médicos vem estudando e divulgando informações sobre os benefícios do salmão na alimentação da população. As notícias mais alarmantes referem-se à capacidade deste peixe causar câncer se ingerido em grandes quantidades no mês.

O médico francês, David Khayat, por exemplo, afirmou que o salmão, o atum vermelho, o siki e o peixe espada “tem concentração de metais pesados como arsênio, chumbo, mercúrio e cádmio altas”, sendo considerados alimentos cancerígenos. Já o Dr. David Carpenter, diretor do Instituto de Saúde e Meio Ambiente na Universidade de Albany, nos EUA, o perigo maior está na ingestão de salmão de viveiro. De acordo com sua avaliação, o salmão de viveiro não só carece de vitamina D, mas muitas vezes é contaminado com substâncias químicas cancerígenas, PCBs (bifenilas policloradas), pesticidas e antibióticos.

Desta forma, o salmão selvagem seria mais saudável, mas ainda assim, como diz o médico francês, continua sendo um dos peixes cancerígenos.

Conhecer a fonte dos peixes ingeridos nos restaurantes ou comprados em supermercados, ter uma alimentação equilibrada e uma rotina de atividades físicas são recomendas das dietas anticâncer.

Leia também: Má alimentação: consequências, riscos e doenças que pode causar.

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Destaque Notícias

20 de janeiro de 2016

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas