Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia? - IMEB

Quais são os efeitos colaterais da quimioterapia?

Em um dos tratamentos mais usuais para o câncer, os medicamentos que são utilizados atingem, não somente as células cancerígenas, mas também as células saudáveis do corpo. Isso faz com que os pacientes passem pelos efeitos colaterais da quimioterapia. Vamos ver quais são eles?

Por que os efeitos colaterais da quimioterapia ocorrem?

As drogas atingem também as células sãs do corpo porque não é possível reconhecer exatamente quais são as células doentes e saudáveis. Por isso, os efeitos colaterais são inevitáveis. Tudo vai depender do tipo e quantidade de drogas aplicadas, tempo de tratamento e, sobretudo, da forma como o corpo irá reagir às aplicações das drogas.

Os efeitos colaterais da quimioterapia podem durar meses e até anos para desaparecerem. Infelizmente, existem até alguns tipos de quimioterapia que causam danos irreversíveis ao coração, pulmão, fígado, sistema nervoso e também aos órgãos reprodutivos.

Veja os efeitos colaterais da quimioterapia

  • Queda de cabelo e de outros pelos do corpo;
  • Enjoos e vômitos;
  • Tonturas e fraqueza;
  • Prisão de ventre ou diarreia e excesso de gases;
  • Falta de apetite;
  • Feridas na boca;
  • Alterações na menstruação;
  • Unhas quebradiças e escuras;
  • Manchas ou mudanças na coloração da pele;
  • Sangramento;
  • Infecções recorrentes;
  • Anemia;
  • Diminuição do desejo sexual;
  • Ansiedade;
  • Alterações de humor, como tristeza, melancolia e irritabilidade.

Como os cuidados paliativos podem ajudar

Apesar dos efeitos colaterais citados e da gravidade da doença, espera-se que o paciente tenha qualidade de vida em busca da cura e que receba todo apoio necessário durante o tratamento.

Nesse sentido, os cuidados paliativos representam uma abordagem de cuidados com a participação de profissionais de diferentes áreas. Trata-se de um tratamento especial voltado para pacientes de doenças graves e que envolve, dentre tantas coisas:

  • Identificar e tratar sintomas físicos, como dor, falta de ar, vômitos, fraqueza ou insônia;
  • Identificar e cuidar de sentimentos ou sintomas psicológicos negativos, como angústia ou tristeza;
  • Observar e apoiar na gestão de conflitos ou em dificuldades sociais, como na falta de alguém para prestar o apoio familiar;
  • Reconhecer e apoiar em relação a questões espirituais, oferecendo auxílio religioso ou orientações em relação ao sentido da vida e da morte.

É indispensável que o atendimento ao paciente seja sempre feito por uma equipe médica altamente especializada. E que todos os exames sejam realizados por clínicas confiáveis e sensíveis à situação do paciente.

Ficou com alguma dúvida? Leia também:

O que é e para que serve a quimioterapia?

 

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Combate ao câncer

1 de setembro de 2018

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas