Biópsia: indicações, como é feita, riscos e mais!

biopsia

A biópsia é frequentemente indicada para conferir se um tumor é maligno ou benigno. O procedimento consiste em colher uma amostra de tecidos ou de células para análise em laboratório. Mas líquidos, secreções e outros materiais orgânicos também podem ser estudados.

Saiba mais detalhes sobre para que tipos de problemas esse exame é indicado, como ele é feito, seus riscos e importância neste artigo. Continue lendo!

Biópsia: indicações e quais problemas ajuda a diagnosticar

É mais comum que a análise seja feita quando há suspeita de problemas na morfologia das células, principalmente quando há possibilidade de tumores, como o câncer de mama, por exemplo.

Inclusive, você conhece os procedimentos de Core Biopsy e Mamotomia? São tipos de biópsias mamárias que auxiliam no diagnóstico do câncer de mama.

O Dr. Renato, médico do IMEB, explica melhor sobre a questão no vídeo abaixo, assista:

Outras indicações de biópsia podem ser feitas para esclarecer algum diagnóstico sobre o qual ainda restem dúvidas, quando outros exames falharam em obter resultados precisos. É o caso, por exemplo, do câncer de ovário.

Ela pode até ajudar a identificar doenças infecciosas ou autoimunes e verificar a evolução de um tratamento.

Leia também:

Quais são os tipos mais comuns de câncer? Descubra!

e

Por que manter uma alimentação saudável ajuda a prevenir o câncer?

Como funciona uma biópsia?

A biópsia é um procedimento simples que pode ser feito até em um ambulatório. Apenas em poucos casos uma internação pode ser necessária.

Geralmente a coleta do material é feita em cima da lesãosendo que o médico avaliará a extensão do material a ser colhido e a melhor área para ser retirada. As células ou tecidos são então conservados em formol e enviados para um laboratório de patologia.

Podem ser retirados materiais externos, como na pele e em mucosas, por endoscopia ou durante uma cirurgia, a lesão inteira ou apenas parte dela.

Um outro método de se colher células é aspirar com uma seringa. Geralmente são usados também agulhas, pinças ou bisturis.

Em caso de uma grande parte retirada, o tecido é colocado em parafina e fatiado milimetricamente para ser analisado no microscópio com a ajuda de corantes para realçar as células.

Há algum risco no procedimento?

Graças à tecnologia, hoje as biópsias estão menos invasivas, com técnicas mais precisas e menor quantidade de material retirado. Ainda assim, é importante que seu médico te informe sobre a importância dos exames, bem como seus riscos. Você deve ter total liberdade para sanar todas as dúvidas com ele e fazer o procedimento com mais segurança.

A informação é uma grande aliada para resolver as dúvidas de saúde e, assim, acabar com as inseguranças e os mitos.

Por isso, ajude seus amigos e familiares que precisam passar por uma biópsia. Compartilhe com eles estas informações relevantes e os aconselhe sempre a conversar com um médico.

Leia também:

Como contar para minha família e amigos que tenho câncer?

Por que uma biópsia precisa ser feita?

Quase todos os órgãos ou componentes do corpo podem ser analisados. Mas há detalhes que não são fáceis de observar.

Exames de imagem e bioquímicos não conseguem responder a problemas intracelulares, por exemplo. Então, muitas vezes é preciso coletar tecidos e células para que se possa fazer uma análise microscópica. Com a biópsia, é possível estudar desde uma verruga até câncer.

Ela é essencial para detectar problemas em estágio inicial, evitando, por exemplo, um câncer que seria identificado apenas em fase avançada.

Leia também: O que considerar para obter confiança em um diagnóstico?

Caso necessite marcar um exame, clique aqui.

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029