Quando se consultar com um neurologista? Confira 7 sinais de alerta! -

Quando se consultar com um neurologista? Confira 7 sinais de alerta!

O médico neurologista é responsável pelos cuidados com uma série de fatores da nossa saúde, mas muita gente não sabe ao certo o que esse especialista faz.

Ele costuma ser mais lembrado em casos de enxaqueca, problemas de sono ou para tratar pacientes com queixas de memória.

Porém, é importante saber que a atuação desse profissional vai muito além disso, sendo fundamental para o tratamento de muitas outras condições, para pessoas de todas as idades.

Mas quando você deveria se consultar com um neurologista? Quais situações pedem o acompanhamento desse profissional? Para tornar tudo isso mais claro, listamos neste artigo 7 sinais de alerta de que é hora de agendar uma consulta com esse especialista.

Acompanhe!

Qual o papel do neurologista na sua saúde

O neurologista é o especialista médico responsável por avaliar, diagnosticar e tratar distúrbios relacionados ao sistema nervoso, que é dividido em:

  • Sistema nervoso central: composto pelo cérebro, cerebelo, tronco encefálico e medula espinhal;
  • Sistema nervoso periférico: nervos que conectam o cérebro e a coluna vertebral aos órgãos.
  • Sistema nervoso autônomo: controla os processos internos do corpo, como a pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, temperatura corporal e reflexos.

Esse profissional também pode atuar em conjunto com outros especialistas – psicólogos e psiquiatras – para tratamento de doenças como a depressão, ansiedade e síndrome do pânico.

Além disso, o neurologista também pode se especializar no tratamento de crianças e adolescentes. A neuropediatra acompanha o desenvolvimento neurológico dessa faixa etária e trata doenças mais comuns nessa idade, como meningite, epilepsia, déficit cognitivo e de atenção, entre outros.

A depressão é um dos problemas em que o neurologista pode atuar. Entenda mais sobre essa doença e como tratar!

O neurologista é o especialista médico responsável por avaliar, diagnosticar e tratar distúrbios relacionados ao sistema nervoso, que é dividido em:

  • Sistema nervoso central: composto pelo cérebro, cerebelo, tronco encefálico e medula espinhal;
  • Sistema nervoso periférico: nervos que conectam o cérebro e a coluna vertebral aos órgãos.
  • Sistema nervoso autônomo: controla os processos internos do corpo, como a pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, temperatura corporal e reflexos.

Esse profissional também pode atuar em conjunto com outros especialistas – psicólogos e psiquiatras – para tratamento de doenças como a depressão, ansiedade e síndrome do pânico.

Além disso, o neurologista também pode se especializar no tratamento de crianças e adolescentes. A neuropediatra acompanha o desenvolvimento neurológico dessa faixa etária e trata doenças mais comuns nessa idade, como meningite, epilepsia, déficit cognitivo e de atenção, entre outros.

A depressão é um dos problemas em que o neurologista pode atuar. Entenda mais sobre essa doença e como tratar!

Quando se consultar com um neurologista?

1. Enxaquecas e dores de cabeça

Uma das queixas mais frequentes nos consultórios de neurologia são as enxaquecas e as dores de cabeça.

É normal ter dores de cabeça, quando isso ocorre de forma esporádica ou por alguma razão específica, como sono, fome ou exposição ao sol.

Quando isso ocorre de forma frequente e com muita intensidade, porém, é um sinal de que você deve se consultar com um neurologista, já que pode ser sintoma de outros problemas, até mesmo doenças mais graves.

Nos casos de enxaqueca – dores de cabeça mais intensas e incapacitantes – o neurologista pode ajudar no controle das crises e na investigação para prevenir a ocorrência de novos episódios.

Outras situações, envolvendo dores de cabeça, que merecem atenção e precisam de consulta ou tratamento com o neurologista são:

  • dor aguda e contínua, que demora a passar;
  • presença de vômitos;
  • piora com esforços físicos;
  • surgem repentinamente.

Como saber se sua dor de cabeça é, na verdade, uma enxaqueca? Confira as dicas deste artigo para perceber os sinais indicativos!

2. Convulsões

Diferentemente de certos sintomas, como a dor de cabeça — que são comuns de ocorrer no dia a dia — ter convulsões não é algo corriqueiro. Por isso, caso um episódio desse ocorra, é importante buscar um serviço de emergência o quanto antes e, assim que possível, se consultar com um neurologista.

Convulsões podem ocorrer de forma isolada, por algumas razões, ou de forma repetida, nos quadros de epilepsia.

Tratam-se de contrações involuntárias da musculatura, que provocam movimentos desordenados e podem vir acompanhadas de perda de consciência e até do controle urinário e fecal.

Também existem as chamadas “crises de ausência”. Nessas situações, não ocorrem as contrações musculares, mas a pessoa pode perder brevemente a consciência, mantendo um olhar fixo e parado.

Novamente, este é mais um sinal de que um neurologista precisa ser consultado.

Mais de 4 milhões de brasileiros sofrem de epilepsia. Conheça mais informações sobre esse problema que afeta tantas pessoas!

3. Formigamento ou dormência

Sintomas de formigamento ou dormência em algum membro do corpo são relativamente comuns no dia a dia. Manter as pernas dobradas por muito tempo e dormir sobre o braço podem provocar esse efeito.

No entanto, quando isso ocorre sem causa aparente, de forma repetida ou persistente, principalmente de um mesmo lado do corpo, também é sinal de que você deve procurar um neurologista.

Dormências e formigamentos podem estar envolvidos em diversos problemas, desde problemas cardíacos até acidentes vasculares cerebrais (AVC).  

4. Tontura

Outro sinal de alerta de que um neurologista deve ser consultado são as tonturas e alterações de equilíbrio.

Esses sintomas podem ocorrer em diferentes níveis de intensidade e variedade, e os neurologistas costumam classificá-los como vertigem ou desequilíbrio.

Enquanto a vertigem dá a sensação de que a pessoa ou as coisas ao redor estão girando, o desequilíbrio é a dificuldade de manter-se em pé.

Tonturas e desequilíbrios podem ser sinal de labirintite. Veja neste outro artigo como aprender a identificar esse problema!

5. Problemas na visão

O mais comum é pensarmos em procurar um oftalmologista, quando surge qualquer problema na visão.

Porém, certas situações, como visão embaçada, dificuldades repentinas para enxergar e apagões não relacionados a condições já conhecidas podem ser causadas por alguma disfunção neurológica ou no sistema nervoso. 

Na dúvida, você deve iniciar sua investigação com um oftalmologista, mas é possível que esse profissional te encaminhe para uma avaliação com um neurologista.

6. Distúrbios de memória

É normal se esquecer de certos eventos do passado ou o aniversário de alguns amigos e parentes, mas quando o esquecimento passa a ser de situações cotidianas, como o local onde deixou as chaves ou o caminho para o trabalho e para casa, é sinal de algo já não está bem.

Para sintomas como esse, o profissional de referência para iniciar uma investigação e, se for o caso, conduzir um tratamento, também é o neurologista.

Especialmente se esses lapsos de memória vierem acompanhados de confusão mental, dificuldades na fala e alterações de comportamento.

Você quais são os principais sinais da doença de Alzheimer? E qual profissional procurar? Confira as respostas neste outro artigo!

7. Distúrbios no sono

Existem diversas razões para que uma pessoa tenha problemas na hora de dormir; em geral são associadas a questões emocionais, ansiedade ou preocupações do dia a dia. Nesses casos, o normal é que, assim que essas tensões se resolvam, o sono melhore.

Em outros casos, porém, a insônia pode ser um problema grave, que compromete bastante a qualidade de vida da pessoa, e requer uma abordagem médica para melhorar, inclusive com o uso de medicações específicas.

Caso você (ou alguém próximo) esteja apresentando uma dificuldade persistente para ter um sono de boa qualidade, o neurologista deve ser sua primeira escolha para investigar e, se for o caso, tratar.

Você sabia que a falta de sono pode levar a transtorno bipolar? Entenda essa relação neste outro artigo!

Problemas neurológicos: não hesite em procurar ajuda!

Como vimos no artigo, o neurologista tem um papel fundamental nos cuidados de diversos aspectos de nossas vidas, em todas as fases. Entender as áreas de atuação desse profissional pode encurtar o caminho entre uma queixa e sua solução.

Nesse sentido, na presença de algum dos sinais de alerta listados neste artigo, não hesite em procurar o auxílio de um neurologista para avaliação e, se for o caso, realização de exames, sendo os mais frequentes a ressonância magnética e a tomografia computadorizada.

Nesse sentido, considere o IMEB como sua opção para a realização de exames de imagem!

Somos referência no Distrito Federal, dispondo das mais modernas tecnologias diagnósticas e uma equipe de profissionais preparados e experientes. 

Caso você esteja em Brasília ou Entorno e tenha pedido médico, agende agora mesmo seus exames e venha cuidar da sua saúde conosco!

QUERO AGENDAR MEUS EXAMES NO IMEB

Também atendemos diversos convênios. Consulte a lista abaixo para ver se o seu plano está incluído.

CONVÊNIOS ATENDIDOS

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Neurologia

29 de outubro de 2021

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas