As vantagens da medicina nuclear para um diagnóstico seguro - IMEB

As vantagens da medicina nuclear para um diagnóstico seguro

Apesar de poder causar receio em algumas pessoas, são perceptíveis as vantagens da medicina nuclear, sendo essa uma das especialidades mais seguras da medicina moderna, sendo realizada sempre por médicos que, além dos 6 anos de faculdade de medicina, fizeram ainda uma especialização em medicina nuclear.

Nessa área da medicina, tanto a fisiologia quanto o metabolismo são analisados em conjunto e transformados em imagens, contribuindo para o diagnóstico de doenças e auxiliando o profissional médico sobre a melhor decisão de tratamento para cada caso.

Para isso, são utilizados os radiofármacos, que são elementos que funcionam como marcadores da região afetada por alguma doença. Os radiofármacos tendem a se fixar mais em áreas doentes, o que é registrado pelos exames de imagem.

Dessa forma, é possível para o médico identificar o local onde há uma alteração, com mais precisão que em exames de imagem convencionais, como ultrassom, radiografia, tomografia computadorizada ou mesmo a ressonância magnética.

Neste artigo, vamos falar sobre algumas vantagens da medicina nuclear e por que ela é uma grande aliada dos médicos (e da sua saúde) na investigação de diversas doenças.

 

As vantagens da medicina nuclear

Mais precisa

Os exames da medicina nuclear diferem de outras formas de diagnóstico por imagem em função de sua precisão e da capacidade de identificar doenças em fase inicial, quando alterações anatômicas nas células ainda não podem ser observadas por outros métodos.

Isso acontece porque nos exames de medicina nuclear são analisados aspectos metabólicos, ou seja, como determinado órgão ou região está funcionando, e não apenas uma imagem estática da área.

Isso oferece a possibilidade de um diagnóstico mais precoce e mais rico de informações que vão orientar o médico a respeito da instalação e do desenvolvimento de diversas doenças.

 

Mais segura

Além disso, os exames não são invasivos e permitem uma exposição menor à radiação do que outros exames. Só para que você tenha uma ideia, o nível de radiação aplicada ao paciente numa cintilografia óssea (exame nuclear) é quase 100 vezes menor que a de um exame de raio X de tórax, por exemplo.

Além disso, a aplicação de radiação segue as normas técnicas da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e todos os procedimentos são realizados por médicos com ampla capacitação, incluindo seis anos de formação básica e especialização em Medicina Nuclear.

Menos invasiva

Ao contrário de exames convencionais, os exames de medicina nuclear possibilitam que todo o corpo seja avaliado com apenas uma dose de radiofármaco.

Como vantagem adicional, sua capacidade diferenciada de identificar alterações mais precoces que outros exames, evita que o paciente precise ser submetido a investigações às vezes mais invasivas e radicais, como cirurgias e biópsias.

Mais sensível

Outra vantagem da medicina nuclear é sua alta sensibilidade, o que permite aos médicos identificar com precisão áreas comprometidas e, a partir disso, definir com mais assertividade o melhor caminho para o tratamento.

Exames como a cintilografia e o PET/CT são exemplos dos avanços que a medicina nuclear garante a pacientes e profissionais de saúde. Entre os mais modernos exames de imagens atuais, essas duas opções de diagnóstico garantem não só o reconhecimento precoce de uma doença, mas também a observação de fatores de risco, favorecendo a prevenção.

 

O exame de PET/CT

Utilizado mais frequentemente para investigação, tratamento e acompanhamento de casos de câncer, o exame permite ao médico investigar tumores em fases iniciais e apontar com precisão o local, contribuindo para evitar procedimentos mais invasivos, como cirurgias e biópsias.

O PET/CT também é capaz de analisar a atividade metabólica do cérebro, identificando sinais de Alzheimer e focos de epilepsia, por exemplo. Além disso, na cardiologia, o exame auxilia no diagnóstico de problemas cardiovasculares, como viabilidade miocárdica e doenças inflamatórias do coração.

 

O exame de cintilografia

Esse exame é indicado para investigar doenças em diferentes partes do corpo e, para cada uma, é administrado um tipo de radiofármaco diferente.

Assim como no PET/CT, a cintilografia registra em imagens as alterações no funcionamento de órgãos e tecidos antes mesmo que sejam visíveis.

Trata-se de um teste rápido, indolor e de grande eficiência em diversas áreas da medicina, investigação dos ossos, do coração, dos pulmões e várias outras.

Saiba mais sobre este exame e sobre a medicina nuclear neste vídeo do Dr. Renato Barra em nosso canal do Youtube:

 

Para quais casos a medicina nuclear é usada?

Pelo grande número de benefícios que oferece ao trabalho dos médicos e à saúde dos pacientes, a medicina nuclear tem sido cada vez mais utilizada, especialmente em áreas como cardiologia, oncologia, neurologia, ortopedia, urologia, pneumologia e endocrinologia.

Entre as doenças que podem ser detectadas por exames como a cintilografia e o PET/CT, estão:

  • embolia pulmonar;
  • infecções;
  • infarto;
  • câncer;
  • obstruções renais;
  • demências;
  • endocardite infecciosa;
  • problemas ósseos;
  • doenças da tireoide.

 

Existe alguma contraindicação para os exames?

Embora sigam um controle rígido e sofisticado, os exames podem ser contraindicados para alguns grupos específicos de pacientes. 

De modo geral, mulheres grávidas ou amamentando devem evitar a realização desse tipo de exame, a fim de não expor o feto ou recém-nascido à radiação.

Como as doses de radiofármacos são adequadas ao peso do paciente, crianças maiores já podem fazer os exames sem restrições.

O ideal é que o risco-benefício seja sempre discutido com seu médico, para chegar à melhor solução para cada caso. 

Tecnologia aliada da sua saúde

Como você viu neste artigo, há várias vantagens da medicina nuclear em comparação a métodos tradicionais para um diagnóstico mais completo, seguro e eficiente. O que não significa dizer que os outros exames não tenham sua aplicação e importância em determinadas situações.

No entanto, em alguns casos, nenhuma das opções diagnósticas disponíveis atualmente se mostram tão eficazes e precisas quanto os exames de medicina nuclear, especialmente a cintilografia e o PET/CT. 

Na região Centro-Oeste, o IMEB é uma referência em medicina nuclear e conta com profissionais qualificados e equipamentos de ponta para oferecer a você praticamente todos os exames necessários para o melhor diagnóstico.

Vale lembrar que o IMEB é a única clínica de medicina nuclear no DF acreditada com o nível 3 da ONA (Organização Nacional de Acreditação), que é o grau máximo de qualidade atestado por essa organização que valida instituições de saúde, através de critérios como padrões de qualidade e segurança, gestão integrada e os padrões ONA de excelência em gestão.

Se você está em Brasília e tem uma solicitação para esse tipo de exame, agende online seu exame agora mesmo, aí do seu celular, computador ou tablet.

Veja também: Cintilografia miocárdica: como é feita?

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Medicina Nuclear

8 de janeiro de 2021

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas