Queimação no estômago: o que causa e como aliviar?

Queimação no estômago: o que causa e como aliviar?

A queimação no estômago não é uma doença isolada, mas sim um sintoma que pode indicar diversas condições médicas secundárias. Embora não seja uma patologia por si só, é importante não ignorá-la.

Episódios recorrentes de queimação podem levar ao desenvolvimento de lesões graves e prejudicar a saúde do esôfago e do estômago. Por isso, entender as causas desse sintoma é importante para buscar o tratamento adequado e evitar complicações futuras. 

Confira a seguir! 

O que causa queimação no estômago?

A queimação no estômago, também conhecida como azia, é uma sensação de queimação e ardor que acontece no peito ou na parte superior do abdômen, logo atrás do osso esterno. Essa sensação geralmente acontece quando o ácido do estômago volta para o esôfago, o tubo que leva a comida da boca ao estômago.

Ela pode sugerir por conta de uma simples má digestão ou até condições mais sérias, como câncer no sistema digestivo. Por isso, requer atenção médica. De preferência, com o gastroenterologista.

Apesar de ser um problema comum, a queimação no estômago pode ser um sintoma preocupante, indicando possíveis problemas no trato digestivo.

As principais causas da queimação no estômago são:

  • Refluxo gastroesofágico: Ocorre quando o ácido gástrico sobe para o esôfago. 
  • Obesidade: O excesso de peso exerce pressão sobre o estômago, aumentando o risco de refluxo ácido.
  • Gravidez: O útero em crescimento pode pressionar o estômago, bem como os hormônios da gravidez podem causar a queimação.
  • Medicamentos: Anti-inflamatórios não esteroides, betabloqueadores e alguns antidepressivos causam esse desconforto. Outros fármacos também podem ter esse efeito colateral, por isso, sempre leia a bula.
  • Consumo de álcool: O álcool irrita o revestimento do esôfago, principalmente quando há uso excessivo.
  • Alimentos específicos: Alimentos gordurosos, picantes, ácidos ou com cafeína podem desencadear refluxo em algumas pessoas. 
  • Comer em excesso: Comer grandes refeições pode sobrecarregar o estômago e aumentar o risco de queimação.
  • Fumar: O cigarro causa enfraquecimento do esfíncter esofágico e aumenta a produção de ácido gástrico, causando a queimação no estômago. 
  • Deitar-se logo após as refeições.
  • Gastrite: A queimação é um dos sintomas da gastrite, inflamação do revestimento do estômago, que pode ser causada por infecção pela bactéria H. pylori, entre outros fatores. 
  • Úlceras pépticas: São feridas dolorosas que se formam no revestimento do estômago ou duodeno.
  • Esofagite eosinofílica: Inflamação predominante de eosinófilos no esôfago.
  • Acalasia: Condição em que o esôfago não relaxa adequadamente para permitir que os alimentos passem para o estômago.
  • Câncer: Neoplasias no sistema digestivo podem causar queimação no estômago, mas essa não é a única causa e nem sempre é o primeiro sintoma.

Queimação no estômago: como aliviar e evitar esse desconforto

Geralmente, a queimação no estômago pode ser aliviada com mudanças simples na alimentação e até mesmo na rotina, como evitar de comer antes de dormir. 

Priorizar alimentos leves e de fácil digestão, como frutas não cítricas, verduras e legumes frescos, fibras e alimentar-se em pequenas quantidades mais vezes ao dia, são medidas eficazes. 

Além disso, evitar comer ou beber em excesso e comer os alimentos mais devagar também ajuda a aliviar esse sintoma. É importante não beber enquanto come e evitar bebidas que agridem a mucosa gástrica, como álcool, café, refrigerante e energético. 

Por fim, evitar deitar quando estiver com sintomas, porque a posição horizontal aumenta a probabilidade de refluxo ácido e desconforto no estômago. Esperar pelo menos 2h após a última refeição para dormir. 

Quando se preocupar?

Se a queimação no estômago persistir por mais de uma semana, é necessário buscar um médico para avaliar a causa. O profissional poderá solicitar exames como endoscopia digestiva alta, manometria esofágica e USG abdome total para uma investigação mais detalhada. 

A automedicação não é recomendada, mesmo sendo uma prática comum para quem sofre com esse desconforto. 

O uso indiscriminado de medicamentos inibidores da bomba de prótons, como o Omeprazol, pode ser prejudicial e piorar o quadro, porque nem todos podem utilizá-lo, como pessoas com problemas graves no fígado e gestantes.

A recomendação de buscar atendimento médico é ainda mais importante quando há outros sintomas: 

  • Mal-estar
  • Enjoo
  • Vômito com ou sem sangue
  • Estufamento
  • Indigestão
  • Perda de peso sem dieta
  • Dificuldade para engolir alimentos
  • Fezes com coloração escura ou presença de sangue vivo
  • Dor no estômago 

Se você está enfrentando queimação no estômago, saiba que a Tomografia Computadorizada (TC), Ressonância Magnética (RM) e a USG de abdome total são alguns dos exames prescritos para avaliar sua saúde abdominal. Esses exames são importantes para identificar possíveis condições médicas e garantir um diagnóstico preciso. 

No IMEB, referência em diagnóstico por imagem e medicina nuclear em Brasília-DF e região, você encontra profissionais especializados e equipamentos de última geração para cuidar da sua saúde com qualidade e segurança. Agende seu exame!

AGENDAR EXAME NO IMEB

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Alimentação saudável Câncer de intestino

17 de junho de 2024

Conteúdos Relacionados

Conteúdos Recomendados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas