Tomografia computadorizada: o que é e para que serve o exame?

 

Mundialmente conhecida, a tomografia computadorizada é um exame utilizado desde os anos 70, contribuindo para o diagnóstico de uma simples entorse até um câncer grave.

O exame é aplicado em muitos campos da medicina e até em emergências por ser indolor, rápido e eficiente. Os aparelhos de tomografia (tomógrafos) consistem em uma moldura circular, rotatória com um tubo que emite raios-X em um lado e um detector no lado oposto.

Tomografia computadorizada: como funciona

Um feixe de raios-X em formato de leque incide em torno do paciente. Conforme o tomógrafo gira, milhares de imagens são simultaneamente captadas em rotação, resultando numa imagem bem completa do corpo. É criada, assim, uma visualização em terceira dimensão, além das imagens de diferentes ângulos.

A tomografia pode ser realizada com o uso de contraste, que é um líquido que pode ser dado para o paciente engolir ou injetado na veia, dependendo da região que o exame pretende visualizar melhor. Por exemplo, as tomografias de crânio, tórax e abdômen geralmente são realizadas com contraste para uma melhor observação das estruturas.

A vantagem do contraste é que ele apresenta uma imagem mais nítida, no entanto vale dizer que há alguns casos de reações alérgicas com o uso. Entenda melhor sobre contraste e sua relação com alergia na tomografia computadorizada.

Os cuidados para os pacientes

Para a realização da tomografia computadorizada com contraste será necessário que o paciente esteja de jejum para a boa absorção do líquido. É importante informar ao médico todas as medicações usadas para evitar eventuais reações.

Devidamente preparado, o paciente se deita em uma maca que é introduzida no tomógrafo, por aproximadamente 15 minutos, a depender do caso que está sendo investigado. Como é um equipamento aberto, dificilmente causa aflição ou mal-estar.

Para que serve a tomografia computadorizada?

Como vimos, a tomografia computadorizada serve para auxiliar no diagnóstico de muitas doenças musculares e ósseas, para identificar a localização de um tumor, uma infecção, um coágulo ou alguma lesão. Vamos ver alguns tipos de tomografia computadorizada e suas finalidades:

●    Tomografia computadorizada de abdômen e pelve

Pode detectar a evolução de abscessos e tumores, apendicite, litíase, má-formação renal, pancreatite, pseudocistos, lesões do fígado, cirrose e hemangiomas.

●    Tomografia computadorizada de membros superiores e inferiores

Monitora lesões musculares, fraturas, tumores e inflamações.

●    Tomografia computadorizada de crânio

Investiga traumas, infecções, hemorragias, hidrocefalia, possíveis aneurismas ou nódulos.

●    Tomografia computadorizada de tórax

Indicada para investigações de infecções, doenças vasculares, presença de tumores e suas evoluções.

●    Tomografia computadorizada dos olhos

Pode detectar a existência de alguma partícula no olho, infecções do globo ocular ou em volta da cavidade ocular, tumores da órbita ou do nervo óptico.

●    Tomografia computadorizada dos rins e do trato urinário

Indicada para hemorragias nos rins ou em volta deles, formações endurecidas (pedra nos rins), tumores renais ou em volta deles.

●    Tomografia computadorizada dos pulmões

Investiga dilatação das vias aéreas (bronquiectasia), enfisema, tumores, pneumonia, ou embolia pulmonar.

Exames alternativos

Como a tomografia computadorizada utiliza emissão de radiação prejudicial à saúde, quando a pessoa é exposta constantemente, muitas vezes o médico opta por indicar, dependendo da região do corpo, a ressonância magnética. Há casos, ainda, que podem ser esclarecidos por meio da ultrassonografia. Veja qual a diferença entre tomografia e ressonância.

Baixe e leia agora mesmo nosso e-book Tenho câncer. E agora?

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029