AVC: confira TUDO que você precisa saber sobre o problema | IMEB

AVC: confira TUDO que você precisa saber sobre o problema

avc, AVC: confira TUDO que você precisa saber sobre o problema

Você sabia que o AVC (Acidente Vascular Cerebral) é um dos maiores causadores de morte súbita e de incapacidade motora ou sensorial? E mais, que ele pode ocorrer a qualquer momento, causando limitações irreversíveis?

Neste artigo, iremos explicar o que é o AVC, apresentar suas principais causas e sintomas e ensinar como identificá-lo. A procura por ajuda imediata é fundamental para evitar maiores consequências. Acompanhe!

O que é um AVC (Acidente Vascular Cerebral)?

O AVC (Acidente Vascular Cerebral), popularmente conhecido como derrame ou infarto, é um dos maiores causadores de morte no planeta. Quando não mata, pode deixar sequelas graves e, às vezes, irreversíveis, tanto na locomoção motora, quanto nas atividades cerebrais.

Esse tipo de acidente vascular pode ocorrer de duas maneiras: pela obstrução do fornecimento do sangue de alguma artéria que leva oxigênio e nutrientes para as células cerebrais (o mais comum e conhecido como AVC isquêmico); ou pelo rompimento de um vaso, causando hemorragia cerebral (o AVC hemorrágico).

O Dr. Renato Barra, médico do IMEB (Imagens Médicas de Brasília) e especialistas em Medicina Nuclear, preparou um vídeo especial para você sobre o assunto. Assista:

Causas do AVC

Uma das principais dúvidas da população é: “O que leva a pessoa ter um AVC?”. Porém, não há um fator único. Além disso, muitas das causas do AVC são silenciosas e podem passar despercebidas. Entre os principais fatores de risco, estão a presença de um aneurisma, pressão arterial, doenças cardíacas, além de outros fatores que veremos a seguir.

Hipertensão (pressão alta)

É o maior fator de risco, principalmente nos casos de AVC hemorrágico. Isso porque a pressão arterial alta causa lesões e desgastes nas paredes dos vasos sanguíneos, podendo ocasionar o rompimento de um deles. Além disso, a hipertensão é assintomática (não apresenta sintomas) e só pode ser detectada com acompanhamento por meio da aferição.

LDL alto (colesterol)

O colesterol ruim causa o entupimento dos vasos sanguíneos e é um dos altos fatores de ocorrência do AVC.

Cardiopatia

A arritmia, ou seja, batimentos cardíacos fora de ritmo, pode favorecer o surgimento de coágulos que quando alcançam o cérebro causam o AVC.

Leia também:

Exames do coração: quais são e para que servem cada um?

Estresse

Ansiedade, depressão e tensão são situações que afetam o sistema nervoso e, por consequência, alteram a circulação sanguínea podendo causar danos cerebrais.

Cansaço excessivo também pode ser sinal de algumas doenças. Confira!

Falta de atividade física

O sedentarismo causa um grande mal a saúde. Os possíveis acúmulo de gordura, ganho de peso, hipertensão e diabetes podem originar problemas no sistema vascular e também desencadear esse tipo de acidente vascular. Por outro lado, quando praticado, o exercício físico libera substâncias benéficas para a capacidade de contração e relaxamento dos vasos sanguíneos.

Dieta desequilibrada

A alimentação também é um fator que pode contribuir para um acidente vascular cerebral. Uma dieta equilibrada preserva as artérias de inflamações e formação de coágulos. Já os quilos a mais proporcionados por uma alimentação desequilibrada podem levar à hipertensão, colesterol e diabetes, sem falar da gordura abdominal que é bastante nociva às artérias.

Além da comida, a bebida também tem influência negativa. O excesso de álcool deixa as artérias mais apertadas e endurecidas, dificultando o trânsito de nutrientes.

Leia também:

Má alimentação: consequências, riscos e doenças que pode causar

TOP 6 melhores alimentos do mundo para a saúde

Principais sintomas do AVC: como identificar um Acidente Vascular Cerebral?

Como já dissemos, o atendimento imediato nesses casos é fundamental para evitar sequelas. Diante disso, é muito importante que as pessoas saibam reconhecer quando um Acidente Vascular Cerebral está acontecendo. Confira os principais sintomas do AVC abaixo.

1 – Alterações motoras

Um dos lados do corpo pode ficar enfraquecido, paralisado ou perder a sensibilidade. Pode acontecer a perda de mobilidade ou força de um dos braços ou pernas, além de dificuldade para ficar de pé.

2 – Alterações na fala

A pessoa pode apresentar dificuldade para falar, ficar com a voz muito baixa ou com a fala embolada ou lenta. A boca ou parte do rosto pode ficar caída ou torta.

3 – Perda visual

A visão pode ficar embaçada ou ocorrer a perda parcial.

4 – Confusão mental

Pode ocorrer perda de memória, da consciência ou confusão mental. A pessoa pode não conseguir executar coisas simples, como: movimentar os olhos ou membros do corpo, ou lembrar de dados significativos como nome ou data de nascimento.

5 – Dor de cabeça forte e repentina, tremores, náuseas e vômitos

Também podem ser sintomas de AVC, principalmente se acompanhado de algum dos sintomas já citados acima.

Leia também:

Check-Up Essencial: principais exames para mulheres e homens

No vídeo abaixo, o Dr. Renato explica um pouco melhor sobre os sintomas do AVC (Acidente Vascular Cerebral) e como identificá-lo. Assista:

O que fazer no caso de um AVC?

Na percepção dos sintomas do AVC mais característicos, é fundamental procurar um atendimento médico o mais rápido possível, em um hospital ou pronto-socorro próximo. Quanto maior a demora, maiores as consequências que o acidente vascular cerebral pode trazer para o paciente.

Em geral, as consequências de um AVC costumam ser maiores quando o atendimento médico é iniciado após 3 horas do início dos sintomas.

Durante o socorro, o médico pode administrar medicamentos para minimizar o risco de sequelas e consequências mais graves, como o óbito.

Caso não exista um hospital ou pronto-socorro próximo, o recomendado é chamar uma ambulância (pelo número 192) e seguir as orientações indicadas até que o atendimento chegue.

Leia também:

O que é importante na relação médico-paciente?

Como é feito o diagnóstico de um AVC?

Além da avaliação dos sintomas e sinais do problema, o diagnóstico do AVC também é feito por meio de exames de imagem, como a tomografia computadorizada do crânio e a radiografia cerebral

Tais exames ajudam a identificar o local, a gravidade, a extensão, o tipo e a causa do problema (como obstrução ou hemorragia, por exemplo). 

Essas informações são úteis para que o médico entenda melhor o quadro do paciente e possa tomar as medidas médicas mais adequadas.

Outros exames também podem ser solicitados para complementar o diagnóstico, como:

  • Arteriografia;
  • Exame de sangue;
  • Eletrocardiograma;
  • Ecocardiograma;
  • Ultrassom Doppler de carótidas;
  • Doppler transcraniano.

Caso precise realizar exames de diagnóstico por imagem, conte com o IMEB (Imagens Médicas de Brasília). Nós somos referência em diagnóstico por imagem no Distrito Federal e em todo o Centro-Oeste. Agende o seu procedimento aqui.

avc, AVC: confira TUDO que você precisa saber sobre o problema

Marque seu Exame no IMEB – Imagens Médicas de Brasília

Leia também:

O que considerar para obter confiança em um diagnóstico?

Quais as possíveis sequelas de um AVC?

As sequelas do AVC são diversas e podem variar de paciente para paciente, de acordo com a área do cérebro afetada, a extensão e o tipo da lesão, além do momento em que foi iniciado o socorro. Porém, a maioria dos pacientes apresentam sequelas motoras após um AVC.

Assim, até a realização de movimentos simples podem se tornar um desafio para pessoas que já tiveram esse tipo de acidente vascular.

Confira abaixo as consequências mais comuns:

  • Dificuldade em falar e compreender mensagens;
  • Comprometimento da capacidade de reconhecer objetos e pessoas, mesmo sem danos na visão;
  • Perda de memória a curto ou longo prazo;
  • Perda de sensibilidade em determinada região do corpo;
  • Paralisia temporária ou contração muscular involuntária (espasticidade).

É importante reforçar que as sequelas do AVC pode ser temporárias ou para toda a vida, a depender do quadro de cada paciente.

Quando um AVC pode levar à morte?

Em geral, o AVC hemorrágico representa o maior número de mortes por acidente vascular cerebral, em comparação com o AVC isquêmico, sendo considerado o tipo de AVC mais grave. Por causar uma hemorragia no cérebro, pode levar à morte cerebral em poucas horas.

Porém, é importante reforçar que o AVC hemorrágico é mais raro, representando em torno de 15% dos casos.

Além disso, o AVC isquêmico também pode levar à morte rapidamente em alguns casos, pois a falta de nutrientes e oxigênio no cérebro pode ser fatal.

Por isso, a identificação precoce dos sintomas e o encaminhamento rápido para o atendimento médico são fundamentais.

Você conhece um dos principais exames para diagnóstico do AVC? Clique aqui e conheça a Cintilografia de Perfusão Cerebral!

Dúvidas comuns

– Quanto tempo uma pessoa leva para se recuperar de um AVC?

O tempo de recuperação do AVC é variável. Além de ser um processo lento e gradual, a recuperação também depende da gravidade do acidente vascular cerebral, além de características individuais do paciente. Em geral, sinais de recuperação já são percebidos nas primeiras semanas após o acidente.

– Em qual idade é mais comum acontecer o AVC?

Na maioria dos casos o AVC ocorre em pessoas de 65 a 75 anos e é natural que o risco de ter um acidente vascular cerebral aumente com o passar dos anos. Porém, cada vez mais jovens adultos (entre 30 e 40 anos) também estão apresenando o problema.

– O que pode causar um AVC em jovens?

O surgimento do AVC em jovens está ligado a causas semelhantes ao AVC em idosos, como obesidade, hipertensão e colesterol alto. Além disso, algumas doenças raras também aumentam o risco do acidente vascular cerebral em pessoas mais novas, como Lupus Eritematoso Sistêmico e trombofilias.

O que se pode fazer para evitar o AVC?

Em média, 80% dos casos de AVC podem ser evitados. Para isso, é necessário prevenir e combater os principais fatores de risco e as causas do problema, como pressão alta, colesterol alto, tabagismo, excesso de açúcar no sangue, doenças do coração, entre outros.

Recomenda-se buscar manter um estilo de vida saudável ao longo dos anos, com uma alimentação equilibrada e a prática regular de atividades físicas.

Para saber mais, leia também o nosso artigo Principais Vantagens de Adotar um Estilo de Vida Saudável.

O Dr. Renato também separou algumas dicas especiais para você. Assista no vídeo abaixo.

Leia também:

Infarto: sintomas, causas, o que fazer, tratamentos e mais

Ataque Cardíaco: conheça os tipos e saiba identificar cada um

Arritmia cardíaca: o que é e quais são os sintomas

avc, AVC: confira TUDO que você precisa saber sobre o problema

Baixe agora mesmo o nosso E-Book “Doenças Cardíacas Mais Comuns e Como Evitá-las” e previna-se. É gratuito!

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029