Ressonância magnética: 8 dúvidas comuns sobre o exame! | IMEB

Ressonância magnética: 8 dúvidas comuns sobre o exame!

Ressonância magnética: 8 dúvidas comuns sobre o exame!

Por entregar diagnósticos precisos e por ser uma ferramenta muito importante para a medicina moderna, o exame de ressonância magnética é requisitado tanto em casos rotineiros quanto urgentes, o que o torna um procedimento muito frequente.

Mesmo assim, muita gente ainda tem dúvidas sobre como ele funciona, suas contraindicações e qual o preparo necessário para realizá-lo. 

Se você tem a indicação de realizar uma ressonância magnética e está com dúvidas sobre o procedimento, neste artigo você confere as respostas a algumas das perguntas mais frequentes sobre esse exame.

Vamos a elas!

Principais dúvidas sobre o exame de ressonância

A precisão diagnóstica do exame de ressonância permite a investigação de inúmeras condições, em praticamente todas as regiões do corpo, auxiliando no tratamento de diversas doenças.

Por ser tão preciso, este exame também costuma ser um dos mais demorados, podendo levar até mais de 1 hora para sua realização, a depender da extensão da área a ser examinada, do nível de colaboração do paciente, entre outros fatores. 

Listamos abaixo algumas das principais dúvidas relacionadas a este exame.

1. Quando a ressonância magnética é indicada?

A ressonância magnética é usada em várias áreas da medicina – cerebrais, ortopédicas, cardíacas, oncológicas – porque permite o diagnóstico e o acompanhamento de alterações em praticamente todas as regiões do corpo, como tumores, derrames, coágulos, lesões, calcificações, hérnias de disco, rompimento de ligamentos, inflamação em articulações e doenças degenerativas.

Esse exame é capaz, por exemplo, de diagnosticar tumores no seus estágios iniciais, o que é de suma importância para o sucesso de tratamentos de casos de câncer.

2. Ressonância magnética emite radiação?

Diferentemente de outros exames, como o raio X e a tomografia, a ressonância não emite radiação. E isso é um dos fatores que a torna tão importante, já que pode ser utilizada por qualquer tipo de pessoa e ser repetida quantas vezes forem necessárias.

Na verdade, a forma de funcionamento desse equipamento é por meio de ondas eletromagnéticas geradas por um grande ímã, que interage com as moléculas da região corporal analisada, gerando imagens de alta precisão.

Uma dúvida comum sobre exames de imagem – como a ressonância – é o tempo de validade das informações naquele exame. Neste artigo a gente responde:

Qual a validade de um exame de imagem?

3. Quem usa aparelho nos dentes pode fazer o exame?

Quem usa aparelho ortodôntico pode fazer ressonância, mas é possível que o metal prejudique a qualidade da imagem e cause algum desconforto no paciente na hora do exame, dependendo da composição do aparelho.

Isso vai depender também de qual região do corpo será avaliada pelo exame. Caso seja na cabeça ou no pescoço, pode ser que haja alguma interferência. Se não, a interferência é mínima ou nenhuma.

A sugestão é conversar antes com o radiologista que realizará o exame e, caso haja a indicação, procurar o dentista para que ele remova o arco e as bandas do aparelho para realização do exame.

Uma dúvida comum é sobre as diferenças – de procedimento e indicação  – entre os exames de ressonância e ecografia. Neste artigo a gente esclarece:

Ressonância ou ecografia: diferenças e quando cada exame é indicado

4. Quem possui tatuagem pode realizar o exame?

Tatuagens só interferem no exame quando contêm ferro na composição da tinta. Algumas cores, como o vermelho, geralmente apresentam óxido de ferro em sua composição e são mais suscetíveis ao campo magnético da máquina de ressonância, formando uma corrente elétrica que esquenta a área da tatuagem. É possível que isso cause irritação na pele.

As maquiagens definitivas, consideradas uma tatuagem cosmética, também seguem essa mesma lógica.

Na dúvida, converse com o radiologista que realizará o exame. Porém, em geral, é bem raro que ocorra algum problema mais sério. O mais comum é uma leve sensação de ardência no local da tatuagem.

5. Quem possui piercing pode realizar o exame?

Por causa do magnetismo da máquina de ressonância, é necessário que o paciente retire do corpo tudo que contenha metal, como jóias, piercings, grampos de cabelo, relógios, cintos e peças de roupa com detalhes metálicos, como botões da calça, por exemplo.

Celulares, carteiras e chaves precisam ficar do lado de fora da sala de exame, bem como outros objetos pessoais que contenham metal.

Outro importante cuidado é nos casos de pacientes portadores de implantes e equipamentos metálicos, o que inclui clipes de aneurisma cerebral e marcapassos cardíacos. Esses são casos que precisam ser avaliados cuidadosamente pelo radiologista, em parceria com o especialista que acompanha o paciente.

Uma das áreas mais importantes de investigação da ressonância é a saúde do coração. Conheça, neste artigo, o papel deste exame no check-up cardiológico:  

Ressonância magnética cardíaca: saiba para que serve e sua importância!

6. Grávidas podem realizar o exame?

Não há comprovação de que a exposição ao campo magnético cause qualquer problema para mulheres grávidas ou prejudique o bebê. Porém, por não haver estudos muito conclusivos sobre o tema, muitos médicos preferem indicar a realização do exame em fases mais tardias da gestação, em que a formação do feto já está mais adiantada.

Um fator que pode oferecer algum risco é o uso do contraste, que é indicado em alguns casos.

Novamente, a opção pela realização do exame deverá ser feita após a avaliação do radiologista em conjunto com o profissional que acompanha a gestação.

7. Todo exame de ressonância precisa de contraste?

O contraste é uma substância usada para auxiliar o aparelho de ressonância a identificar com mais precisão as alterações buscadas. Esse líquido tem o potencial de melhorar a qualidade das imagens e, por isso, é frequentemente usado, especialmente em ressonâncias do cérebro e do abdômen.

Apesar de ser importante em vários casos, o uso do contraste não é obrigatório, havendo casos em que ele não será necessário.

O médico solicitante do exame é que indicará a necessidade ou não do contraste, dependendo do tipo de investigação que ele deseje fazer.

O Dr. Renato Barra, médico do IMEB, esclarece todas as suas dúvidas sobre o uso do contraste em exames de imagem, neste vídeo. Clique pra assistir!

8. Como devo me preparar para o exame?

A maioria dos cuidados relacionados à ressonância são aquelas condições já ditas ao longo deste artigo. Além disso, é recomendado que, no dia do exame, você vá usando roupas leves, porque provavelmente elas serão trocadas por outras.

Em geral não é necessário qualquer tipo de jejum (líquido ou sólido), consumo de água antes do exame nem a interrupção de medicamentos.

De qualquer forma, antes de iniciar o procedimento, o paciente passa por um questionário detalhado, que esclarece todas as contraindicações e riscos do exame.

Ressonância magnética é no IMEB!

Neste artigo você conheceu as respostas para várias perguntas comuns das pessoas sobre o exame de ressonância magnética. Como vimos, trata-se de um exame muito importante para o diagnóstico e tratamento de diversos problemas em praticamente todo o corpo.

Uma dica importante é: nem todas as máquinas de ressonância magnética são iguais. Equipamentos mais modernos tornam os exames mais rápidos e precisos, além de trazer mais conforto para o paciente, como no caso do aparelho de ressonância magnética de extremidades.

Aqui no IMEB você pode contar com esse aparelho, que possibilita a realização do exame em pessoas com fobias relacionadas a ambientes fechados ou para aqueles com restrições físicas que dificultem a realização do exame.

Se você está em Brasília ou Entorno e tem exames de imagem solicitados, venha cuidar da sua saúde conosco!

Quero agendar meu exame no IMEB!

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029