Ansiedade: 8 sinais que merecem atenção | IMEB

Ansiedade: 8 sinais que merecem atenção

ansiedade, Ansiedade: 8 sinais que merecem atenção

Quando tudo isso vai passar? Quando voltaremos ao normal? Será que estou em perigo? Essas dúvidas estão nos cercando desde o início da pandemia do novo coronavírus, que mudou radicalmente nossa forma de viver. Angústia, preocupação e stress passaram a ser companheiros frequentes e está difícil manter a saúde mental em meio a uma tempestade que não dá sinais de ir embora.

Em um cenário de tanta tensão, esse tipo de incômodo é normal, mas, se ele gera um medo tão grande que chega a provocar reações físicas, como taquicardia e falta de ar, talvez seja preciso olhar com mais atenção para o problema. É que esses são alguns sintomas que caracterizam o transtorno de ansiedade, um distúrbio que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), atinge 9,3% da população brasileira, o triplo da média mundial.

Se você tem se sentido apreensivo demais, está com dificuldades para dormir e seu corpo dá indícios de que algo não está bem, não ignore os sinais. Neste artigo, vamos apresentar alguns sintomas do transtorno de ansiedade aos quais você deve prestar atenção e, se identificá-los em seu dia a dia, não hesite em procurar ajuda.

 

O que é a ansiedade?

A ansiedade é um sentimento comum em situações nas quais nos sentimos em risco e um reflexo natural que nos prepara para enfrentar essas situações. É normal, por exemplo, que você se sinta ansioso aguardando o resultado de um exame médico ou antes de uma apresentação de trabalho importante.

A intensidade e a frequência dos sintomas é que transformam esse sentimento em uma patologia, gerando transtornos de ansiedade, caracterizados por reações excessivas, desproporcionais ao risco e persistentes.

Não há uma idade definida para que o transtorno de ansiedade se manifeste, podendo ocorrer desde crianças até idosos. Na fase infantil, está relacionado, geralmente, ao desempenho na escola e ao medo de monstros e fantasmas; já adultos tendem a se preocupar mais com trabalho, dinheiro e responsabilidades.

Em função da sobrecarga de papéis que precisam assumir em sociedade, as mulheres são mais afetadas do que os homens. De acordo com a OMS, 7,7% da população feminina nas Américas sofre de ansiedade, contra 3,6% da masculina. Algumas vezes, o transtorno de ansiedade pode vir acompanhado de depressão, além de outras doenças relacionadas ao setor profissional.

 

Sinais de alerta para um transtorno de ansiedade

O transtorno de ansiedade pode se manifestar por meio de sintomas psicológicos, como medo, angústia e pensamentos catastróficos, e físicos, incluindo falta de ar, dor no peito e cansaço. Além desses, outros sinais em seu comportamento podem indicar o transtorno. Faça uma autoavaliação e perceba se você:

 

1 – Tem reações exageradas quando se sente em risco

Uma diferença fundamental entre a ansiedade normal e o transtorno é a desproporção da resposta em relação ao possível risco. Algumas vezes, o próprio paciente percebe que seu medo é irracional e injustificado, mas, mesmo assim, não consegue controlá-lo e acaba deixando de realizar uma tarefa ou atividade em função da insegurança.

 

2 – Usa a comida como socorro

Uma cena que se repete: você se sente inseguro, estressado, apreensivo e corre para a geladeira em busca de um alívio em forma de comida. Como não está realmente com fome, qualquer alimento serve e, normalmente, come sem mastigar muito, impulsivamente.

Reconheceu a situação? Então, fique atento, pois, além do transtorno de ansiedade, esse tipo de comportamento pode indicar uma compulsão alimentar

 

3 – Não consegue dormir ou tem sonhos angustiantes

Noites em claro são rotina e “desligar” para pegar no sono é muito difícil para quem sofre de transtorno de ansiedade. As preocupações com o dia seguinte e com algum assunto a resolver são tão intensas que, mesmo depois que dorme, é provável que o paciente sonhe com o motivo de sua apreensão. Também é comum já acordar pensando em problemas.

 

 4 – Está sempre com a musculatura tensa

A tensão psicológica constante causada pelo transtorno também atinge os músculos e, por isso, dores nas costas, ombros e nuca são comuns. Algumas vezes, torna-se difícil até movimentar o pescoço, devido à rigidez do local.

 

 5 – Fica muito inseguro(a) para falar em público

Discursos, apresentações de projetos, reuniões de trabalho, um simples brinde de aniversário… Para muitos, apenas mais uma tarefa, mas, para quem sofre de transtorno de ansiedade, ser submetido a esse tipo de situação é uma verdadeira tortura, causando reações físicas como mãos geladas e respiração ofegante.

 

6 – Sente-se incapaz e rejeitado(a)

O medo do fracasso é um inimigo constante e está presente em relações profissionais e pessoais. A pessoa com transtorno de ansiedade convive com a insegurança de não ser capaz de realizar determinadas tarefas e com a preocupação de não ser aceita pelos outros.

 

7 – Tem pensamentos obsessivos

A incapacidade de controlar pensamentos angustiantes e repetitivos é um sintoma definidor não só do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), mas também do Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), Síndrome de Pânico e outras patologias.

 

8 – Sofre com problemas digestivos

O sistema gastrointestinal é extremamente afetado pelo transtorno de ansiedade, que pode causar dores, má digestão, diarreia e azia. Dependendo da intensidade dos sintomas, pode chegar a situações mais sérias, como úlceras, gastrites e síndrome do intestino irritável.

 

Hábitos saudáveis para amenizar os sintomas

Um estilo de vida saudável é o grande aliado de quem sofre de transtorno de ansiedade. Por meio de atividades físicas, por exemplo, o corpo a libera substâncias que promovem bem-estar, relaxam a mente e melhoram a qualidade do sono, algo essencial para aliviar o stress. Listamos, a seguir, outras recomendações de médicos e especialistas:

  • mantenha uma dieta saudável, rica em vitaminas e minerais;
  • equilibre trabalho e lazer;
  • controle o tempo de exposição à TV e ao celular, principalmente à noite;
  • evite o excesso de álcool, café, cigarro e outros estimulantes.

 

Como é feito o diagnóstico

Como os sintomas do transtorno de ansiedade são semelhantes aos de outras condições psicológicas, o diagnóstico deve ser feito a partir do histórico do paciente, avaliação clínica e, se for necessário, exames complementares. Não há testes específicos que confirmem o transtorno, mas, eles podem descartar outras doenças.

Além disso, quando a ansiedade está associada à depressão, exames de imagem, como a ressonância e o PET-CT, podem auxiliar no diagnóstico.

Depois de todas essas informações, você já consegue identificar se a ansiedade que sente é apenas um reflexo deste momento tantas inseguranças ou se pode representar algo mais sério? Se ainda tem dúvidas, não deixe de procurar a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra, pois o transtorno de ansiedade pode gerar muitos prejuízos ao seu bem-estar e qualidade de vida.

Caso esteja em processo de diagnóstico e precise realizar exames solicitados por seu médico, conte com o IMEB para lhe auxiliar. Você pode agendar seu exame pelo nosso site, sem sair de casa. Clique aqui para fazer o agendamento.

 

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029