Como contar para minha família e amigos que tenho câncer?

Ao receber o diagnóstico de câncer, o paciente se expõe a uma série de pensamentos e dúvidas. Dentre elas, questões sobre como enfrentar o tratamento da doença, o que irá mudar no seu dia a dia e sobre como contar para a família, amigos, colegas, chefe etc são recorrentes.

É difícil atravessar essa fase, mas uma coisa é certa: sofrer sozinho(a) não é uma solução! Contando com o apoio das pessoas que amamos e envolvendo profissionais qualificados para o tratamento, tudo fica mais fácil e seguro.

Tenho câncer: como contar para minha família e amigos?

É indispensável contar com o apoio da família e amigos tão logo se saiba do diagnóstico. O amor que você tem pelas pessoas e que, certamente, elas têm por você funciona como um remédio poderoso. Seu coração vai ficar mais leve, sua mente mais tranquila e os pensamentos mais positivos.

Na hora de contar, prefira as conversas individuais ou em pequenos grupos. Seja honesto com você mesmo e com seus ouvintes. Comente sobre quais têm sido suas reações iniciais — mesmo que sejam de uma certa revolta ou medo. A dor dividida fica mais leve.

O laço de confiança que se estabelece vai ajudar você a administrar com muito mais otimismo seus medos, tristeza, angústias, sonhos, frustrações e até mesmo os efeitos colaterais do tratamento. Envolvendo pessoas importantes durante o tratamento, você terá mais estímulos para aceitar a própria doença e as recomendações médicas.

Grau de entendimento e linguagem

Do mesmo modo que o diagnóstico de câncer te fez se sentir temeroso e até mesmo assustado, é importante lembrar que o mesmo vai acontecer com seus familiares e amigos, porém em uma escala menor.

Algumas pessoas, a depender da relação que têm com você e da própria forma de encarar os desafios da vida, podem ter reações diferentes e inesperadas. A ansiedade diante do que virá e a dúvida sobre o que fazer exatamente para te ajudar vai estar presente na cabeça das pessoas.

Cada uma delas poderá auxiliar de uma forma diferente. Uma pode te acompanhar às consultas e tratamentos. Outras podem te ajudar em casa ou no trabalho, e algumas simplesmente podem ser ótimas para conversar quando você precisar.

Ao contar, considere também o grau de entendimento. Se forem crianças, principalmente, simplifique o relato e use uma linguagem que eles possam entender facilmente.

Rede de apoio

Quem resolve o grau de detalhamento para falar com cada um é você. Não hesite em comentar qual tipo de apoio você acha que vai precisar. Perguntas são naturais. Tente respondê-las da melhor forma, mas se sentir que não quer falar de determinado assunto, se dê o direito de não comentar.

No caso das crianças, filhos principalmente, a tendência é esconder alguns fatos. Mas saiba que eles acabam percebendo as mudanças na sua rotina, na sua aparência e as alterações emocionais também. Às vezes, conforme a idade, elas já sabem lidar com as situações difíceis até melhor que os adultos. Mesmo assim, tente transmitir tranquilidade e otimismo.

A medicina e os recursos tecnológicos avançam muito e a cada dia há novidades. Se você e toda sua rede de apoio formada pela família, amigos, médicos e enfermeiros colocarem todas as energias visando a cura, isso se transformará em alimento para você enfrentar o tratamento.  

Para saber mais sobre o câncer e suas implicações, leia também nosso ebook Tenho Câncer. E agora?.

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright