O que é a diabetes e como tratá-la?

mãos segurando balões com letras de diabetes

A diabetes é uma doença que atinge cerca de 8,9% da população brasileira, segundo o Ministério da Saúde. Silenciosa e muitas vezes imperceptível, ela aumentou 61,8% no período entre 2006 e 2016.

Para controlar esse avanço, a informação é fundamental. Por isso, vamos tratar dessa doença neste artigo. Acompanhe!

Diabetes: o que é?

A diabetes é uma doença caracterizada pelo excesso de glicose no sangue. Pode ocorrer devido à falta de insulina — hormônio responsável por regular a produção de glicose no sangue — ou a um defeito na sua ação.

Tipos de Diabetes

A diabetes pode se manifestar de três formas, cada qual com uma maneira de identificar e de tratar. Conheça a seguir!

Tipo 1

A diabetes Tipo 1 pode surgir como uma herança genética, combinada com infecções virais. Embora seja possível desenvolvê-la em qualquer idade, ela é mais comum durante a infância e a adolescência.

O que acontece é o seguinte: por uma falha, o sistema imunológico começa a atacar as células beta, que são as responsáveis pela produção de insulina. Isso altera a liberação de glicose no sangue, fazendo com que a insulina não seja utilizada de forma adequada para a produção de energia.

Os sintomas que podem surgir em uma pessoa que tem diabetes tipo 1 são:

  • Vontade frequente de urinar;
  • Fome e sede excessiva;
  • Emagrecimento;
  • Fraqueza e fadiga;
  • Nervosismo;
  • Mudanças frequentes de humor;
  • Náuseas e vômito.

Leia também:

Cansaço excessivo pode ser sinal de algumas doenças. Confira!

Tipo 2

Mais comum em adultos, a Diabetes Tipo 2 surge devido ao organismo não conseguir produzir a quantidade necessária de insulina capaz de controlar a taxa glicêmica. Ou então, quando a produção de insulina não é usada de forma adequada.

Os sintomas podem não aparecer no início. Entretanto, a resistência à insulina, característica da doença, pode fazer com que surjam alguns sintomas. Por exemplo:

  • Fome e sede excessiva;
  • Infecções frequentes na pele, na bexiga e nos rins;
  • Feridas que demoram para cicatrizar;
  • Visão embaçada;
  • Furúnculos;
  • Formigamento nos pés.

Diabetes Gestacional

Como o nome sugere, a Diabetes Gestacional surge na gravidez, devido ao aumento da taxa de açúcar no sangue, sendo que, geralmente, o quadro da paciente volta ao normal após o parto.

O diagnóstico é dado durante os exames periódicos, e os principais sintomas são: fome e sede excessiva, vontade frequente de urinar e visão turva.

Além dessas, pode-se dizer que existem outros tipos de diabetes, causados por uso de determinados medicamentos (como diuréticos e contraceptivos) ou por defeitos genéticos e que estejam associados com outras doenças — como a pancreatite e a neoplasia no pâncreas exócrino.

Leia também:

6 exames que toda mulher deve fazer anualmente

Como são os tratamentos para diabetes?

Em geral, o tratamento de diabetes é feito com o uso de medicamentos, com uma dieta balanceada para o paciente e com a prática regular de exercício físico. Todos são voltados para a diminuição e para o controle das taxas de glicose no sangue.

Mas, como já mencionamos, cada tipo de diabetes demanda um tratamento específico. Confira!

Leia também:

Dia Mundial da Saúde 2019: 4 passos para uma vida saudável

Tratamento para diabetes Tipo 1

Para o tipo 1, no qual o pâncreas não produz insulina e eleva o acúmulo de glicose no sangue, o tratamento consiste na aplicação diária de insulina sintética, normalizando o transporte de glicose do sangue para os tecidos.

Existe mais de um tipo de insulina, com velocidades de ação diferenciadas em lenta, intermediária, rápida ou ultrarrápida. Normalmente são combinados mais de um tipo e aplicados de 1 a 3 vezes ao dia, procurando se assemelhar ao que seria a produção normal realizada pelo pâncreas.

O controle diário da taxa glicêmica também deve ser realizado com a utilização do glicômetro, sendo que os medicamentos e acessórios necessários para o controle do diabetes são distribuídos gratuitamente pelos postos de saúde.

Tratamento para diabetes Tipo 2

Nesse caso, são utilizados medicamentos antidiabéticos que agem no aumento da produção de insulina pelo pâncreas, na diminuição da produção de glicose no corpo ou na diminuição da absorção do açúcar consumido via alimentação.

A indicação de consumo desses medicamentos é de 1 a 3 vezes ao dia, dependendo da gravidade da doença. Conforme avaliação médica, esses medicamentos podem ser combinados com a administração de insulina.

Tratamento para diabetes Gestacional

Os casos de diabetes durante a gravidez geralmente surgem após a 22ª semana de gestação e devem ser acompanhados pelo obstetra e pelo endocrinologista. Geralmente o tratamento é feito com a diminuição de carboidratos na dieta e com a prática de exercícios físicos adequados para a situação.

Quando somente a dieta e os exercícios não são suficientes e a quantidade de glicose no sangue é muito alta, pode ser orientado o uso de medicamentos antidiabéticos.

Em todos os casos a indicação é de uma dieta balanceada, pobre em açúcar e em carboidratos e rica em fibras. Consumir bastante água também é uma recomendação importante. Essas atitudes podem auxiliar muito no controle da diabetes e no aumento da qualidade de vida.

Gostou do artigo? Então leia também: Alimentação e atividade física: o combo que preserva a sua saúde

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029