PET/CT e quimioterapia: conheça os cuidados necessários | IMEB

PET/CT e quimioterapia: conheça os cuidados necessários

O câncer é uma doença que afeta milhões de pessoas em todo mundo, e seu tratamento envolve diversas modalidades, como cirurgia, radioterapia e quimioterapia. 

Uma das ferramentas mais importantes para o diagnóstico e o acompanhamento do câncer é o exame de PET/CT, que combina duas técnicas de imagem para obter informações detalhadas sobre a anatomia e o metabolismo dos órgãos e tecidos afetados por células cancerosas. 

Neste artigo, você vai entender o que é o exame de PET/CT, qual a sua importância nos casos de câncer e quais são os cuidados necessários que o paciente que faz quimioterapia deve ter antes de realizar o exame.

Acompanhe!

O que é o exame PET/CT

Paciente se submetendo a exame de PET/CT

O PET/CT é um dos exames de imagem mais completos, modernos e eficientes da atualidade. Isso porque ele combina recursos da medicina nuclear e da radiologia para oferecer maior resolução, precisão e qualidade nas imagens tridimensionais do corpo inteiro, obtidas nos resultados.

O PET (sigla em inglês para Positron Emission Tomography) é a tomografia por emissão de pósitrons. O procedimento funciona através da administração de radiofármacos, um tipo de medicação que ajuda o aparelho a visualizar possíveis alterações metabólicas e funcionais em órgãos e tecidos do corpo que não seriam vistas com nenhum outro tipo de exame. 

É importante ressaltar que a quantidade de radiação contida no radiofármaco é mínima, e não oferece qualquer risco ao paciente. 

Já a CT (tomografia computadorizada em inglês) é uma técnica que utiliza raios X para obter imagens transversais do corpo, que são reconstruídas em computador. O exame permite visualizar as estruturas anatômicas, como ossos, órgãos e vasos sanguíneos, com grande definição.

Ao combinar essas duas modalidades, o exame de PET/CT é capaz de sobrepor as imagens funcionais e anatômicas, o que torna possível localizar com precisão áreas de alteração metabólica do organismo e permite diagnosticar diversas doenças ainda em seu estágio inicial.

Por sua capacidade de analisar a fisiologia, metabolismo e anatomia de órgãos e tecidos, o exame de PET/CT é muito utilizado na área oncológica, como veremos abaixo. Além disso, o procedimento também é indicado nos casos de doenças neurológicas ou psiquiátricas, como epilepsia, demência e tumores cerebrais, além do diagnóstico e o estudo do avanço de doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson. Também pode ser utilizado para avaliações cardiológicas, como em doenças inflamatórias do coração ou viabilidade miocárdica.

>>>> Veja também: Cintilografia Renal: Para Que Serve e Como Funciona o Exame?

A importância do PET/CT nos casos de câncer

O exame de PET/CT é um dos métodos mais avançados e eficazes para o diagnóstico precoce e acompanhamento do câncer, pois permite avaliar a extensão e a gravidade da doença, assim como a resposta ao tratamento. Por isso, o exame geralmente é indicado para pacientes com alta suspeita de câncer ou que já foram diagnosticados com o tumor.

Entre os mais variados tipos de câncer que o PET/CT pode detectar, estão o câncer de próstata, de pulmão, de mama, de esôfago, melanomas, nódulo pulmonar, câncer colorretal, linfomas e câncer de cabeça e pescoço.

O exame pode ser requisitado para diversas situações, como:

Diagnóstico

O PET/CT pode confirmar ou descartar a suspeita de câncer, detectar a existência de tumores ainda em suas fases iniciais e identificar a presença de metástase quando outros tipos de exames de imagem não conseguem, além de diferenciar os nódulos benignos e malignos. 

Estadiamento

O exame também é capaz de determinar o estágio e a extensão do câncer, ou seja, o grau de disseminação da doença pelo corpo. Esse processo é essencial para definir o prognóstico e o plano de tratamento mais adequado para cada caso.

Avaliação da resposta terapêutica

Através do exame de PET/CT, é possível avaliar a efetividade do tratamento que está sendo realizado, verificando se o tumor diminuiu, estabilizou ou aumentou após a intervenção. Dessa forma, o médico oncologista pode determinar se há ou não necessidade de mudança na estratégia adotada.

Detecção de recidiva

O exame de PET/CT pode identificar a recorrência do câncer, ou seja, o reaparecimento do tumor após um período de remissão, ao detectar sinais de atividade tumoral em áreas previamente tratadas ou em novos locais, permitindo o diagnóstico precoce e o início de um novo tratamento.

Como é feito o exame de PET/CT?

PET/CT

Para realizar o exame, o paciente recebe, por via intravenosa, uma pequena quantidade de radiofármaco. O traçador mais comum utilizado neste exame é o FDG-18F, um material semelhante à glicose. Após ser aplicado, o radiofármaco circula pelo corpo do paciente e se concentra em maior quantidade nos locais onde o metabolismo é mais intenso e há maior consumo de glicose, já que as células cancerígenas se caracterizam por absorver mais açúcar que células normais.

Enquanto isso, a tomografia computadorizada observa, com imagens extremamente precisas, a localização, a forma e as dimensões dos órgãos afetados.

No resultado, os locais que aparecem de maneira mais luminosa geralmente são sinais de alerta para possíveis tumores. Quanto mais intenso for o brilho das imagens, maior é a atividade metabólica do tumor, indicando assim o nível de gravidade da doença.

PET/CT e quimioterapia: os cuidados necessários

A quimioterapia é um dos tratamentos mais utilizados para combater o câncer, e consiste na administração de medicamentos que se misturam com o sangue para destruir as células cancerosas e impedir que elas se espalhem pelo corpo.

O exame de PET/CT é um importante aliado da quimioterapia, pois permite avaliar a resposta do tumor ao tratamento e orientar as decisões clínicas. No entanto, para que o exame seja realizado com segurança e precisão, é necessário que o paciente siga alguns cuidados. 

O principal e mais importante diz respeito ao intervalo entre os dois. É recomendado que o exame de PET/CT seja realizado após um intervalo mínimo de 10 dias do último ciclo de quimioterapia. Isso acontece porque a quimio pode interferir na captação do traçador e causar alterações na contagem de células sanguíneas, o que aumenta o risco de resultados falso-negativos ou falso-positivos.

Apesar do PET/CT ser indolor, seguro e muito pouco invasivo, outros cuidados são importantes antes e depois da realização do exame, como:

  • A partir do dia anterior à realização do PET/CT, reduzir drasticamente o consumo de alimentos ricos em carboidratos e açúcar. Entre eles, pães, biscoitos doces, salgados, macarrão, arroz, batatas, beterraba, mandioca, frutas, doces, água de coco, refrigerantes comuns e bebidas adoçadas com açúcar.
  • Alimentos como carnes, ovos, leite, folhas, legumes e verduras são liberados para consumo. 
  • Deve-se realizar jejum de 4h a 6h antes do exame.
  • Não é necessário suspender as medicações de uso habitual, mantendo a dosagem e o horário que são normalmente tomados.
  • Pessoas com diabetes precisam receber orientação especial do médico responsável pela realização do exame antes de fazer o procedimento, pois o material injetado no paciente é semelhante à glicose.
  • Após a realização do PET/CT, é recomendado consumir bastante água, para que o radiofármaco seja eliminado mais rápido pelo organismo.
  • Se possível, deve-se evitar o contato próximo e prolongado com crianças e mulheres grávidas, por pelo menos 24 horas após o exame, para conter a exposição desnecessária dessas pessoas à radiação presente no radiofármaco.

O IMEB (Imagens Médicas de Brasília) é referência em exames de medicina nuclear como, como PET/CT. Oferecemos aos nossos pacientes as melhores e mais modernas tecnologias disponíveis, além de um time de profissionais experientes e atenciosos, para que você tenha sempre o diagnóstico mais seguro e confiável.

Aqui, no IMEB, temos consciência do quão delicado pode estar sendo este momento para você. Por isso, nos preocupamos em oferecer um atendimento cuidadoso e humanizado, para que você possa atravessar essa fase da forma mais leve possível.

Caso você esteja em Brasília ou no Entorno e tenha exames de imagem solicitados, venha realizar seus exames conosco!

Quero agendar meus exames no IMEB!

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Câncer de próstata PET-CT

29 de dezembro de 2023

Conteúdos Relacionados

Conteúdos Recomendados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas