7 fatores de risco para a saúde da mulher moderna | IMEB

7 fatores de risco para a saúde da mulher moderna

7 fatores de risco para saúde da mulher moderna-min

Acordar cedo, arrumar os filhos para a escola, sair correndo para o trabalho, resolver assuntos pessoais e profissionais ao longo do dia e ainda acumular tarefas domésticas para o fim de semana. Identificou-se com essa rotina? Certamente, muitas mulheres que estão lendo este artigo, sim.

Esse cotidiano cheio de compromissos no trabalho e em casa tem sido a realidade de grande parte da população feminina, cada vez mais sobrecarregada e com menos tempo para atividades de lazer ou mesmo para apenas deitar no sofá e relaxar. E o resultado dessa rotina desgastante tem se refletido em mais fatores de risco para a saúde da mulher.

Com todos esses problemas ameaçando constantemente o bem-estar feminino, adotar um estilo de vida mais saudável e, mesmo com um dia a dia corrido, encontrar um tempinho para descontrair a mente e descansar o corpo é fundamental. Neste artigo, vamos listar alguns aspectos que podem comprometer a saúde da mulher e como contorná-los para ter mais qualidade de vida. Acompanhe!

 

Quais os principais fatores de risco para a saúde da mulher

 

1 – Menos tempo de sono

Todos sabem a importância de uma boa noite de sono para recuperar as energias e relaxar corpo e mente. No entanto, o acúmulo de trabalho está comprometendo cada vez mais o descanso noturno das mulheres. De acordo com um estudo da Faculdade de Medicina de Warwick, na Inglaterra, mulheres dormem menos que os homens devido ao grande número de atividades que precisam conciliar na vida pessoal e profissional.

O problema de noites mal dormidas não se restringe a cansaço no dia seguinte. O mesmo estudo inglês demonstrou que mulheres que dormem pouco têm mais riscos de elevação da pressão arterial. Além disso, a falta de sono compromete funções cerebrais e a regulação de níveis hormonais, inclusive os que afetam o apetite, o que leva a uma probabilidade maior de chegar à obesidade.

Evitar o consumo de álcool e alimentos e bebidas estimulantes à noite, deitar sempre no mesmo horário, afastar-se da TV e do celular algumas horas antes de deitar, manter a temperatura do quarto entre 20oC e 24oC e tentar deixar o ambiente totalmente escuro são dicas que podem ajudar a dormir melhor.

 

2 – Ansiedade e estresse

O Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência Portuguesa de São Paulo indica que as mulheres são mais estressadas que os homens; por isso, dedicar tempo à sua saúde mental é tão importante quanto à saúde física. Caso os sintomas se intensifiquem, é essencial procurar ajuda especializada para tratamento.

Problemas como depressão, ansiedade e estresse aumentam os riscos de doenças cardiovasculares e neurológicas. Um estudo da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, revelou que ansiedade, estresse e cansaço podem aumentar em até 40% o risco de doenças como o Alzheimer.

Para ter uma vida mais leve e cuidar de sua saúde mental, tente incluir hábitos prazerosos em sua rotina, como praticar uma atividade física ou mesmo bater papo com uma amiga. O importante é que você encontre tempo para respirar e distrair-se um pouco dos problemas.

Leia também:

12 fatores de risco para problemas cardíacos

 

3 – Sedentarismo

O sedentarismo é considerado uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e não é à toa, afinal, ele pode levar a problemas como hipertensão, doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes e transtornos mentais. E, mais uma vez, as mulheres estão mais expostas ao risco.

A Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) realizou uma pesquisa que demonstrou que mulheres praticam menos atividades físicas que os homens: entre eles, o número é de 40%; entre elas, 30%.

No meio de uma jornada dupla de trabalho, pode ficar complicado incluir uma rotina de exercícios ou mesmo ter disposição para realizá-los, por isso, o principal é escolher algo que goste de fazer, mesmo que seja apenas um alongamento. A OMS recomenda 30 minutos de exercícios cinco vezes por semana para benefícios como prevenção a doenças cardíacas, osteoporose, câncer e diabetes. Além disso, a atividade física aumenta a sensação de prazer e a autoestima, refletindo positivamente em sua saúde mental.

 

4 – Alimentação desregrada

Moderação: não comer de mais nem de menos é essencial para manter sua saúde em dia. Quando você exagera constantemente na comida, o risco mais direto é a obesidade, além de outros problemas relacionados. Por outro lado, viver de dietas radicais para se encaixar em um padrão de beleza pode levar à desnutrição. E os dois lados da balança resultam em danos sérios para sua saúde.

Então, na hora de se alimentar, abuse das cores em seu prato. Com isso, você garante uma maior variedade de nutrientes para seu organismo. Alguns alimentos são grandes aliados na prevenção de doenças e, por isso, devem estar com frequência em suas refeições.

Um estudo da Boston University, nos Estados Unidos, apontou que, para as mulheres, comer duas porções de vegetais, diariamente, reduz em 45% os riscos de câncer de mama. Já uma pesquisa da Universidade Griffith, na Austrália, revelou que a enxaqueca pode ser prevenida com uma dieta rica em vitamina B, encontrada em alimentos como fígado de boi, atum, ovos e leite. Varie o cardápio e coloque mais saúde em sua mesa.

 

5 – Descuido com a prevenção

Quem nunca ouviu o ditado que o melhor remédio é a prevenção? No entanto, a rotina corrida das mulheres tem feito com que esse ditado fique apenas no discurso e muitas estão deixando de lado exames que devem ser feitos todos os anos.

Quando se fala em saúde feminina, a consulta ao ginecologista está no topo do ranking. O Papanicolau, para diagnóstico de câncer de colo uterino, e a mamografia, que detecta câncer de mama, não podem ser esquecidos. Da mesma forma, exames de colesterol e glicemia devem estar em sua lista de cuidados, para reduzir os riscos de doenças cardíacas e diabetes.

Dependendo da idade, as mulheres também devem fazer outros exames, para garantir sua saúde integral. Clique aqui e descubra quais são os indicados para sua faixa etária.

 

6 – Excesso de trabalho

A extensa lista de tarefas desempenhadas pelas mulheres faz delas as principais vítimas de problemas como LER, Dort, Síndrome de Burnout, depressão e ansiedade, além de outras doenças ocupacionais.

Para evitar que o excesso de trabalho comprometa sua saúde, é importante estabelecer regras que separem sua vida profissional e pessoal e segui-las com disciplina, como um compromisso firmado entre você e seu bem-estar.

No trabalho, cuide da postura, faça pausas, caminhe um pouco, eleve as pernas e, se for possível, faça ginástica laboral; fora dele, relaxe e se dê o direito de curtir momentos de lazer, mesmo que seja apenas acomodar-se no sofá e ler um livro que você gosta.

 

7 – Mudanças culturais e ambientais

Mais pressão, menos tempo para pensar em filhos, maior exposição à poluição… A realidade atual da mulher moderna a coloca em cada vez mais situações de risco para sua saúde.

Um dos efeitos dessa mudança cultural e ambiental é sentido, todos os dias, por mais de sete milhões de brasileiras que sofrem com os sintomas da endometriose, de acordo com a Associação Brasileira de Endometriose. Essa doença causa dores abdominais, dificuldades em relações sexuais e pode levar à infertilidade.

Além do estresse e ansiedade, a poluição e o adiamento da maternidade, que resultam em alterações hormonais, estão ligados à endometriose, segundo pesquisadores. Embora não exista uma forma 100% garantida de evitar a doença, hábitos saudáveis, como alimentação equilibrada, atividades físicas e sono regular, além de consultas ao ginecologista, podem reduzir os riscos.

 

Hora de se cuidar

O mundo moderno está cheio de inimigos da saúde da mulher, como você viu neste artigo. Por outro lado, as opções para superá-los são várias e podem contribuir com seu bem-estar integral, de corpo e mente.

Cuidar da alimentação e do sono, dosar o tempo dedicado ao trabalho e se dar de presente momentos de prazer são medidas simples e que podem ser adotadas sem grandes complicações. Não descuidar de seus exames preventivos e fazer as consultas médicas necessárias também são formas de reduzir os fatores de risco para a saúde da mulher.

Se você tem exames solicitados por seu médico e ainda não os realizou, é hora de tirar as requisições da gaveta e se cuidar. Para facilitar sua rotina, o IMEB oferece a opção de agendamento online, diretamente pelo nosso site. Acesse e solicite seus exames.

 

imagem ilustrativa de infográfico sobre exames para mulheres

Baixe o Infográfico e conheça os exames que toda mulher deve fazer por faixa etária – IMEB (Imagens Médicas de Brasília)

Leia também:

Saúde da mulher: exames além da mamografia

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029