Tendinite: conheça seus principais fatores de risco

mulher sentindo dor no joelho durante exercício

A tendinite é um problema comum que geralmente acomete as pessoas que realizam esforços muito repetitivos e intensos, como jogadores de futebol e corredores, por exemplo.

Mas não pense que ela é um problema só dos atletas. Quem costuma ter uma postura corporal inadequada — como deixar os ombros “caídos” ao mexer no celular por muito tempo — também pode desenvolver a tendinite.

Continue lendo o artigo para entender melhor o que é a tendinite, quais as causas e sintomas, e como se prevenir do problema.

O que é tendinite?

A tendinite é uma inflamação do tendão, uma estrutura fibrosa semelhante a uma corda responsável por transmitir a força gerada pelos músculos aos ossos, determinando os movimentos do corpo.

Por exemplo: quando dobramos o braço ou mesmo os dedos, os tendões são tensionados e tornam-se ativos entre o músculo contraído e o osso, gerando, assim, o movimento. Sabe-se que um tendão pode alongar naturalmente em 4% a 8% do seu tamanho original. Quando passa desse limite, provavelmente ocorrerá uma lesão anatômica do tendão. Essa inflamação, que se caracteriza por dores e inchaço, pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas é mais comum que ela ocorra no ombro, cotovelo, punho, joelho e tornozelo.

Causas e fatores de risco da tendinite

De modo geral, a tendinite pode ser causada por múltiplos agentes que agridem o tendão, tanto de forma aguda (episódio único), quanto de forma crônica (múltiplos episódios lesivos).

Na maioria das vezes, a inflamação está relacionada a alguns fatores de risco. Conheça os principais a seguir:

  • Trauma no tendão, que pode ocorrer por um episódio agudo ou por traumas repetitivos, no qual o tendão alonga além do seu limite de 8%;
  • Falta de alongamento ou flexibilidade de algum grupo muscular, o que pode gerar uma sobrecarga no tendão;
  • Prática excessiva de atividade física (sem técnicas, materiais ou cuidados adequados para a realização de tal atividade);
  • Postura inadequada, como ombros “caídos” para a frente do corpo;
  • Movimentos repetitivos que podem causar fadiga aos tendões, como usar computadores, tablets e celulares na mesma posição e por longos períodos;
  • Idade do paciente, visto que o envelhecimento normal dos tecidos torna os tendões menos resistentes à lesão;
  • Estresse, que pode causar uma contração muscular incorreta e fadiga nos tendões;
  • Doenças autoimunes, nas quais o organismo desenvolve reação agressiva aos próprios componentes dos tecidos tendinosos.

A tendinite também pode acometer os atletas, principalmente os corredores. É o caso, por exemplo, da Tendinite de Calcâneo (Aquiles), cuja inflamação acomete o tendão dos músculos da panturrilha. Geralmente ela ocorre por insuficiência e/ou desequilíbrio muscular da panturrilha, excesso de treinamento ou mesmo o uso de calçados inadequados para a atividade física.

Outra inflamação comum entre os atletas é a tendinite patelar (também conhecida como tendinite do saltador), que acomete o tendão do músculo do quadríceps. Esse tipo de lesão pode ocorrer por movimentos repetitivos, excesso de treinamento, por desequilíbrio dos músculos da coxa, ou mesmo por desalinhamento dos membros inferiores, como joelho valgo, quadris largos e pé plano (chato).

Quais os sintomas da tendinite?

Clinicamente, a tendinite pode ser dividida em três categorias: a aguda, cujos sintomas se instalaram há menos de duas semanas; a subaguda, quando os sintomas têm duração de duas a seis semanas; e as crônicas, com duração maior que seis semanas.  De forma geral, os principais sintomas da tendinite são:

  • Dor de intensidade variada;
  • Edema (inchaço) de leve a intenso;
  • Calor na pele suprajacente ao tendão inflamado;
  • Vermelhidão na região dolorosa;
  • Dor intensa ao esticar o tendão lesionado;
  • Dificuldade em realizar movimentos comuns do corpo, como andar, agachar ou dobrar as pernas e os braços.

Como tratar a tendinite?

O diagnóstico da tendinite é feito com o médico analisando o histórico do paciente e realizando um exame físico na região na qual ele está sentindo dores e inchaço. Detectada a tendinite, o médico poderá pedir inicialmente que o paciente repouse por um determinado período, a fim de aliviar as dores na região e prescrever eventuais medicamentos anti-inflamatórios para ajudar na recuperação.

Se a tendinite for um pouco mais grave, o médico poderá recomendar exercícios fisioterápicos ou solicitar alguns exames de imagem para avaliar o estado do tendão, como a Ecografia e a Ressonância Magnética.

Por meio desses exames, será possível avaliar a presença de líquido inflamatório ao redor do tendão, bem como o aspecto da estrutura fibrilar, que poderá revelar a presença de alterações anatômicas, rupturas parciais ou totais da estrutura da fibra.

Leia também:

Para que serve o exame de Ressonância Magnética?

Em casos de ruptura do tendão, poderá ser necessária a intervenção cirúrgica para reparar os danos, sendo essencial que o paciente respeite o tempo de repouso determinado pelo médico.

Como evitar dores no tendão e prevenir a tendinite?

Para evitar eventuais dores no tendão, o ideal é que você faça alongamentos antes e depois de uma atividade física, e intercale os alongamentos em atividades repetitivas, como usar o computador por longos períodos.

Além disso, beba água ao longo do dia e mantenha uma alimentação saudável. Assim, você fortalece seus músculos e ossos e mantém seu organismo funcionando bem.

A tendinite também pode ser causada pela má postura. Por isso, corrija a postura do corpo para evitar a sobrecarga dos tendões, principalmente nos ombros e braços. Se você trabalha usando o computador, deixe a tela no nível dos seus olhos, para que você não tenha que sobrecarregar os ombros e pescoço para enxergar melhor.

Atenção também quando for usar o celular: é muito comum as pessoas deixarem o tronco “cair” para a frente quando vão mexer no smartphone, e essa posição, como já foi mencionado, pode sobrecarregar os tendões dos ombros e até das mãos e braços. Lembre-se de corrigir a postura nessas situações.

Ainda: pacientes que já têm um histórico de tendinite ou outros problemas e dores nos tendões e articulações, o recomendado é que procurem um médico antes de praticar algum exercício físico.

Gostou do artigo? Leia também: Como evitar problemas nas articulações?

Precisa agendar um exame de diagnóstico por imagem? Clique aqui e agende agora mesmo!

Marque-Exame-IMEB

Fale conosco

Deixe sua mensagem aqui.

Enviando

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?

IMEB -- 2018 © Copyright
Responsável Técnico: Alaor Barra Sobrinho - CRM-DF 3029