6 doenças respiratórias mais comuns durante o inverno - IMEB

6 doenças respiratórias mais comuns durante o inverno

A chegada do inverno traz consigo alterações climáticas que afetam diretamente a vida de uma parcela grande da população. 

Isso porque o tempo seco e a baixa umidade relativa do ar favorecem o aumento de casos de alergia respiratória, já que os poluentes se concentram na atmosfera com mais intensidade nessas condições. E o ar frio contribui para a irritação das vias aéreas, causando sintomas como tosse, coriza e falta de ar.

Além disso, no inverno as pessoas costumam se concentrar mais em ambientes fechados, aumentando a circulação de alguns vírus, como aqueles que transmitem gripe e resfriado, que são altamente contagiosos.

No entanto, as doenças respiratórias mais comuns durante o inverno não se resumem apenas a essas. Neste artigo, você vai conhecer as causas, sintomas e tratamentos de algumas enfermidades típicas dessa estação.

Acompanhe!

6 doenças respiratórias mais comuns durante o inverno

1. Gripe

A gripe é uma infecção viral causada pelo vírus Influenza, que atinge principalmente as vias respiratórias superiores, como nariz, garganta e também os pulmões. A transmissão da doença ocorre por meio do contato com secreções, espirros ou tosse de outra pessoa já infectada.

Os sintomas mais frequentes da gripe incluem febre alta – acima dos 38° -, dores no corpo, cansaço, mal estar, coriza, dor de cabeça e dor de garganta.

Por ser um vírus que passa por muitas mutações, não existe tratamento específico para a gripe, mas sim o uso de medicamentos para controlar os sintomas, como analgésicos para dor e antitérmicos para febre. Além disso, repouso e hidratação são fundamentais para que o próprio organismo combata a infecção.

Saiba mais:

Influenza H3N2: sintomas e tratamento!

2. Resfriado

O resfriado também é uma infecção viral que atinge principalmente o nariz e a garganta. A principal diferença entre o resfriado e a gripe é que o resfriado é transmitido por mais de 200 tipos de vírus diferentes. Por isso, é comum que uma mesma pessoa tenha mais de um episódio de resfriado por ano.

Outra diferença entre as duas enfermidades é a intensidade dos sintomas apresentados, já no resfriado eles costumam ser mais brandos. Os principais são febre baixa, coriza, espirros, sono e mal-estar.

O tratamento também inclui o uso de analgésicos, antitérmicos e descongestionantes nasais para controlar os sintomas, além de repouso e hidratação.

3. Rinite alérgica

A rinite alérgica é uma inflamação da mucosa nasal (do nariz) decorrente da inalação de substâncias estranhas e irritantes, conhecidas como alérgenos, como poeiras, pólen de plantas, pelos de animais, produtos químicos, ácaros, fungos, etc.

Os principais sintomas da rinite alérgica incluem coriza, espirros, coceira no nariz e nos olhos, tosse, dor de cabeça e olhos lacrimejantes.

A doença é crônica, portanto, não tem cura. Para evitar crises de rinite alérgica, é necessário se afastar das substâncias que provocam o surgimento dos sintomas. Já nos momentos de crise é recomendado o uso de anti-histamínicos e corticóides nasais.

4. Sinusite

A sinusite é a inflamação da mucosa dos seios da face, região do crânio formada por pequenas cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. A doença pode ser causada por vírus (sinusite viral), bactéria (sinusite bacteriana) ou alergia (sinusite alérgica).

Alguns dos sintomas da sinusite são dor na região da face – principalmente ao redor dos olhos e nariz -, dor de cabeça constante, sensação de peso no rosto ao abaixar, secreção nasal, tosse, entre outros.

Para tratar a sinusite, geralmente são indicados anti-histamínicos e anti-inflamatórios, sprays nasais e remédios antigripais. Os antibióticos são recomendados apenas em casos de infecção por bactéria.

Leia também:

Síndrome pós-covid: principais sintomas e como tratar!

5. Asma

A asma é a inflamação crônica dos brônquios, os “tubos” que levam ar para dentro dos pulmões. Uma das causas mais comuns da doença é o histórico familiar, e episódios de crise podem ser desencadeados por diversos fatores, como alergias, exposição a poeira, atividade física intensa, estresse emocional, entre outros.

O estreitamento das vias respiratórias causam sintomas como falta de ar, tosse, chiado no peito, cansaço excessivo e dificuldade para encher os pulmões. Em momentos de crise asmática, podem surgir sintomas como respiração rápida, tontura, confusão mental, suor frio, extremidades azuladas, sensação de ansiedade ou pânico e desmaios.

Durante uma crise, é necessário que os medicamentos receitados pelo médico sejam utilizados rapidamente. Caso isso não resolva, é preciso chamar uma ambulância ou se dirigir ao hospital mais próximo.

O tratamento para asma é orientado pelo pneumologista, e inclui o uso diário de medicamentos para aliviar a inflamação dos brônquios, como broncodilatadores e corticoides.

Leia também:

8 exames para quem teve covid de longa duração

6. Pneumonia

A pneumonia acontece quando as inflamações e infecções das vias respiratórias se instalam nos pulmões. Geralmente, a doença começa com uma gripe ou resfriado que não foi tratado corretamente, diminuindo assim a imunidade do paciente. É causada, na maioria das vezes, por bactérias ou vírus. Em raros casos, por fungos.

Os sintomas mais frequentes da pneumonia são tosse com catarro amarelo ou esverdeado, febre alta, calafrios, falta de ar, respiração acelerada, mal-estar, fadiga, entre outros.

O diagnóstico de pneumonia é feito, em geral, por meio de raio X do tórax. Após confirmado, o tratamento é feito com uso de analgésicos e antibióticos que impedem a evolução do vírus ou bactérias que causam a infecção pulmonar. Em casos mais graves, quando a oxigenação do sangue é prejudicada ou há insuficiência dos rins, por exemplo, é necessária a internação do paciente.

Como se prevenir das doenças mais comuns do inverno

Algumas das principais dicas para prevenir e se proteger das doenças respiratórias mais comuns no período do inverno são:

  • Manter o organismo hidratado;
  • Evitar ambientes fechados e sem ventilação;
  • Evitar o contato com pessoas gripadas ou resfriadas;
  • Lavar as mãos ou higienizá-las com álcool em gel várias vezes ao dia, principalmente quando estiver em locais públicos.
  • Proteger o nariz e a boca ao tossir ou espirrar.
  • Deixar as janelas sempre abertas;
  • Sempre que possível colocar lençóis, cobertores e edredons no sol para eliminar ácaros, fungos, etc.;
  • Hidratar as vias respiratórias através de inaladores e nebulizadores com soro fisiológico;
  • Manter uma alimentação balanceada, com frutas, legumes e verduras.

Além disso, é recomendado a toda população tomar a vacina anual que protege contra o vírus da gripe. Essa vacinação deve ser realizada todo ano, já que o vírus Influenza – causador da gripe – sofre muitas modificações. Dessa forma, os vírus que circulam entre a população durante um ano não serão necessariamente os mesmos do ano seguinte.

Leia também:

Doenças comuns no verão: atente-se e proteja toda sua família

Para sua saúde, IMEB!

O IMEB (Imagens Médicas de Brasília) procura contribuir através da promoção da saúde, bem-estar e qualidade de vida, seja por meio dos serviços prestados, seja criando conteúdos informativos e ricos.

Somos especialistas em exames de diagnóstico por imagem, e contamos com profissionais altamente qualificados para oferecer a você o melhor atendimento. Venha cuidar da sua saúde conosco!

Caso você esteja em Brasília ou no Entorno e tenha exames de imagem solicitados, agende seu exame agora mesmo!

QUERO AGENDAR MEUS EXAMES NO IMEB

Por: IMEB / Categoria: Blog Saúde e Bem-estar

29 de junho de 2022

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas