Dia do Cardiologista: o que fazer no dia a dia para proteger seu coração | IMEB

Dia do Cardiologista: o que fazer no dia a dia para proteger seu coração

O cardiologista é um dos especialistas médicos mais conhecidos das pessoas, pela importância do trabalho que ele realiza.

Sem desmerecer outras especialidades médicas (também muito importantes), os cuidados com o coração – e todo o sistema cardiovascular – é algo crucial para todas as pessoas, em todas as idades.

Por isso, no dia em que se comemora a ação desse especialista, o IMEB vai falar abaixo sobre essa data, sua origem e importância, além de listar o que fazer no dia a dia para proteger seu coração – segundo os próprios cardiologistas.

Boa leitura!

.

Dia do Cardiologista: a importância desta data!

O Dia do Cardiologista é uma celebração que reconhece a importância vital dos profissionais que cuidam do coração e do sistema cardiovascular. Essa data foi instituída para homenagear aqueles que se dedicam a prevenir, diagnosticar e tratar doenças cardíacas, contribuindo para a saúde e qualidade de vida de milhões de pessoas.

O Dia do Cardiologista – celebrado no Brasil em 14 de agosto – foi estabelecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), em 2007, em homenagem ao dia da sua própria fundação, ocorrida em 1943.

Essa data é uma forma de reconhecer o compromisso desses profissionais com a saúde do coração, bem como sua dedicação em buscar constantemente avanços médicos para tratar as doenças cardiovasculares.

A existência do Dia do Cardiologista tem como principal objetivo destacar a importância dos cardiologistas na prevenção e tratamento de doenças do coração, que são uma das principais causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo.

Esses profissionais desempenham um papel fundamental na identificação de fatores de risco, orientação para hábitos saudáveis, diagnóstico precoce e tratamento eficaz de doenças cardíacas. 

Além disso, promovem a educação da população sobre a importância de cuidar da saúde cardiovascular, contribuindo para a redução dos índices de doenças cardíacas e seus impactos na sociedade.

Veja também:

Cintilografia Do Miocárdio: Como é Feita, Riscos, Preparo e Indicações?
Perda de memória: causas, diagnóstico e tratamento

.

O que fazer no dia a dia para proteger seu coração

Apesar de serem cuidados frequentemente repetidos, tanto por médicos quanto pelos meios de comunicação, é sempre importante citar as ações (simples) no dia a dia para proteger a saúde do coração:

.

1. Alimentação equilibrada

Optar por uma dieta rica em frutas, legumes, grãos integrais, proteínas magras e gorduras saudáveis ajuda a manter o coração saudável.

  • Frutas, legumes e grãos integrais são fontes de fibras e ajudam a reduzir os níveis de colesterol no sangue, especialmente o colesterol LDL (ruim), reduzindo o risco de acúmulo de placas nas artérias.
  • Já as gorduras saudáveis, como castanhas e azeite de oliva, ajudam a limpar as artérias.

.

>>> Saiba mais – Conheça os alimentos mais benéficos para sua saúde (e por quê)

.

2. Atividade física regular

Praticar exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida e natação, ajuda a fortalecer o coração e melhorar a circulação sanguínea.

Esse hábito gera benefícios como controle de peso, redução do risco de pressão alta, melhoria da circulação sanguínea, aumento do colesterol bom (HDL) e redução do colesterol ruim (LDL), além de contribuir para a regulação dos níveis de açúcar no sangue e para o controle do estresse, fatores que influenciam diretamente a saúde cardiovascular.

.

3. Controle do estresse

Gerenciar o estresse através de técnicas como meditação, ioga e relaxamento pode reduzir a pressão arterial e proteger o coração.

O estresse crônico pode desencadear o aumento da pressão arterial, dos níveis de colesterol e do risco de inflamações no corpo, além de levar a hábitos prejudiciais à saúde, como alimentação inadequada, consumo excessivo de álcool e tabagismo, que têm impacto negativo direto no coração. 

.

>>> Saiba mais – Estresse excessivo: 8 sinais de que seu corpo está pedindo uma pausa!

.

4. Não fumar

As substâncias presentes no cigarro danificam a saúde dos vasos sanguíneos, aumentam a pressão arterial, reduzem a capacidade do coração de bombear o sangue corretamente e aumenta a formação de coágulos. 

Além disso, o fumo está associado ao acúmulo de placas nas artérias, estreitando o fluxo sanguíneo e aumentando o risco de ataques cardíacos. 

O tabagismo é um fator de risco para diversos problemas cardiovasculares. Parar de fumar melhora significativamente a saúde cardiovascular.

Veja também: Como funciona o PET/CT?

.

5. Controle da pressão arterial

A pressão alta – valores a partir de 14/9 – sobrecarrega os vasos sanguíneos do coração e aumenta o risco de doenças cardiovasculares. 

Quando a pressão se torna alta de forma permanente, o coração precisa trabalhar mais para bombear o sangue, o que pode levar ao enfraquecimento do músculo cardíaco ao longo do tempo. 

Além disso, a pressão alta danifica as paredes das artérias, favorecendo o acúmulo de placas que podem obstruir o fluxo sanguíneo. 

Manter a pressão arterial dentro dos níveis saudáveis ajuda a prevenir danos às artérias e ao coração.

.

6. Controle do colesterol

O colesterol alto pode levar à formação de placas nas artérias e reduzir o espaço para o sangue circular. Isso aumenta o risco de doenças cardiovasculares, como infarto e acidente vascular cerebral. 

Manter os níveis adequados de colesterol, por meio de uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis, contribui para a saúde das artérias e do coração. Para isso, é fundamental avaliar os níveis dessas gorduras no sangue pelo menos uma vez ao ano, já que o colesterol não dá sinais de que está elevado.

.

7. Manutenção do peso

O excesso de peso pode aumentar a pressão arterial, elevar os níveis de colesterol e aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2, fatores que contribuem para doenças cardiovasculares. 

Ao controlar o peso – por meio de uma dieta balanceada e atividades físicas regulares – você ajuda a reduzir a sobrecarga no seu coração e a melhorar a circulação do sangue.

.

8. Redução do consumo de sal

O excesso de sal (sódio) pode levar ao aumento da pressão arterial, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares. 

Ao reduzir a ingestão de sal, é possível manter a pressão arterial sob controle, o que é essencial para o bom funcionamento do coração e a prevenção de complicações.Optar por alimentos frescos e naturais, preparar refeições em casa (em vez de lanches, frituras e salgados de rua) e ler os rótulos dos alimentos (preferindo os mais saudáveis) são formas eficazes de reduzir o consumo de sal e garantir um coração saudável.

Capa de eBook IMEB sobre doenças cardíacas

.

9. Moderação no álcool

Consumir álcool com moderação pode ser benéfico para o coração, mas o excesso pode aumentar os riscos, já que consumo excessivo pode aumentar a pressão arterial, causar arritmias e enfraquecer o músculo cardíaco

Ao controlar a quantidade de bebidas alcoólicas, é possível reduzir o risco de doenças cardiovasculares, além de beneficiar o fígado e outros órgãos. 

Optar por limitar o consumo, alternando com água e evitando o consumo excessivo em um curto período de tempo, são medidas importantes para manter o coração saudável ao longo da vida.

.

10. Hidratação adequada

Manter regularmente um bom consumo de água também é algo fundamental para a saúde cardiovascular, já que ingerir água suficiente ajuda a manter o volume sanguíneo e a viscosidade adequados, facilitando o bom funcionamento do coração. 

A desidratação pode levar a uma maior carga de trabalho cardíaco e aumentar o risco de coágulos sanguíneos. 

Além disso, a hidratação adequada ajuda a regular a pressão arterial e a função vascular, contribuindo para um coração saudável. Certificar-se de beber água regularmente ao longo do dia é uma medida simples, porém essencial, para promover a saúde cardiovascular.

.

11. Sono de qualidade

Manter uma rotina de sono de boa qualidade desempenha um papel crucial na saúde cardiovascular, pois é durante o sono que o corpo realiza processos de reparação e regeneração, incluindo a recuperação do sistema cardiovascular. 

Um sono insuficiente ou de má qualidade está associado a um maior risco de hipertensão, diabetes e obesidade, fatores que aumentam as chances de problemas cardíacos. 

Durante o sono, também ocorre a regulação dos hormônios que afetam o sistema cardiovascular, incluindo aqueles relacionados ao estresse e à regulação do açúcar no sangue. 

.

12. Redução do consumo de açúcar

O excesso de açúcar na dieta está associado ao ganho de peso, obesidade, diabetes tipo 2 e resistência à insulina, fatores que aumentam significativamente o risco de doenças cardíacas. 

O consumo elevado de açúcar pode levar ao aumento dos níveis de triglicerídeos no sangue, o que reduz o colesterol “bom” (HDL) e aumenta o colesterol “ruim” (LDL), contribuindo para o acúmulo de placas nas artérias e aumento da pressão arterial. 

Vale lembrar que as massas – mesmo as salgadas – também se transformam em açúcar no organismo; portanto, tenha um consumo moderado.

.

13. Evitar alimentos processados

Alimentos processados são aqueles que passaram por processos industriais, com acréscimo de açúcar, sal, gorduras ou aditivos para melhorar o sabor ou a conservação por mais tempo.

Por isso, esses alimentos costumam ser ricos em gorduras saturadas, gorduras trans, açúcares adicionados, sódio e aditivos artificiais, que estão diretamente ligados a problemas cardíacos. 

O alto teor de sódio (sal) nos alimentos processados pode aumentar a pressão arterial, enquanto as gorduras saturadas e trans podem elevar os níveis de colesterol “ruim” (LDL) e aumentar o risco de doenças cardiovasculares. 

Optar por uma dieta baseada em alimentos frescos, naturais e não processados, como frutas, legumes, grãos integrais e proteínas magras, pode ajudar a manter o coração saudável, reduzir o risco de doenças cardíacas e melhorar a qualidade de vida.

.

14. Estabelecimento de metas realistas

Por mais que todos os cuidados citados acima sejam fundamentais para preservar a saúde do coração, é importante estabelecer metas realistas para as mudanças que precisam ser feitas rumo a uma rotina mais saudável. 

Definir objetivos alcançáveis ajuda a manter a motivação e a aderência a hábitos saudáveis a longo prazo. 

Metas realistas permitem que você celebre pequenas conquistas ao longo do caminho, o que reforça a autoconfiança e o comprometimento com um estilo de vida saudável. Isso ajuda a evitar frustrações e desistências, garantindo que os esforços para proteger o coração sejam consistentes e eficazes. 

.

15. Consultas e check-ups regulares

Realizar check-ups regulares ajuda a identificar precocemente fatores de risco e problemas cardiovasculares.

Como sabemos, as doenças cardiovasculares costumam ser “silenciosas”, ou seja, não dão sinais claros até que o quadro esteja grave, por isso realizar consultas e exames regulares é algo fundamental.

—————————–

Nesse sentido, na hora de realizar seus exames de imagem, considere o IMEB sua melhor opção. Somos referência em diagnósticos por imagem e contamos com um dos parques tecnológicos mais destacados de todo o Centro-Oeste.

Se você está no Distrito Federal ou Entorno e tem exames solicitados, clique no link abaixo para agendar sua avaliação e vir cuidar da sua saúde conosco!

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Bem-estar Exames cardiológicos Saúde do Coração

4 de agosto de 2023

Conteúdos Relacionados

Conteúdos Recomendados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas