Câncer nos ossos e tumor ósseo: sintomas, o que é, tipos e tratamento

Câncer nos ossos e tumor ósseo: sintomas, o que é, tipos e tratamento

O que é, exatamente, um câncer nos ossos? Quais os tipos? O que pode causar o tumor ósseo e quem possui mais risco de desenvolver a doença?

Quais os principais sintomas e como diagnosticar? Como é feito o tratamento? Existem chances de cura?

Essas são algumas das questões sobre o câncer ósseo que abordamos neste artigo. Para conferir as respostas e esclarecer as suas dúvidas sobra a doença, continue acompanhando o conteúdo abaixo!

O que é um tumor ósseo ou câncer ósseo?

O tumor ósseo (ou câncer ósseo) é uma massa de tecido causada por um crescimento celular anormal no osso — processo denominado de neoplasia.

Segundo dados levantados pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), o câncer ósseo representa cerca de 1% de todas as patologias dentro do campo da oncologia, sendo que 10% dos pacientes com outros tipos de câncer acabam desenvolvendo-o de forma secundária.

cancer nos ossos sintomas

Tipos de Tumor Ósseo

O câncer nos ossos pode ser dividido de duas formas:

  • Tumor ósseo primário: mais comum entre crianças e adolescentes, ele cresce diretamente no próprio osso. Tumor de caráter primário pode ser tanto benigno quanto maligno, embora, na maioria dos casos, ele não seja cancerígeno). Dentre os tumores mais comuns estão: osteossarcoma, Tumor de Ewing e Condrossarcoma.
  • Tumor ósseo secundário: mais comum entre os adultos, este surge a partir de um processo conhecido como metástase óssea, que é quando um câncer em outro órgão se disseminou pelos ossos. A metástase óssea é o tipo mais comum do câncer nos ossos

Existe ainda o chamado mieloma múltiplo: um tipo de tumor ósseo maligno que envolve a medula óssea — tecido responsável pela formação do sangue no interior da cavidade do osso. Nesse sentido, ele é visto mais como um câncer da medula óssea, por não envolver diretamente o tecido duro que forma o osso.

Tumor Ósseo Benigno

Os tumores ósseos benignos não são cancerosos e não sofrem metástase para outras regiões do corpo.

No entanto, eles podem ocorrer em qualquer parte do esqueleto e ainda podem ser perigosos, pois há chances de crescerem e comprimirem o tecido ósseo saudável.

Existem vários tipos de tumores nos ossos benignos que podem ser classificados pelo tipo de matriz que as células tumorais produzem; como osso, cartilagem, tecido fibroso, gordura ou vaso sanguíneo. No geral, podem ser distinguidos 8 tipos diferentes: osteocondroma, osteoma, osteoma osteóide, osteoblastoma, tumor de células gigantes, cisto ósseo aneurismático, displasia fibrosa e encondroma.

cancer no osso

Causas e Fatores de Risco do Tumor Ósseo

A causa exata da maioria dos tipos de câncer ósseo é desconhecida. Entretanto, acredita-se que ela esteja relacionada a um erro no DNA de algumas células, que faz com que haja uma mutação ou divisão celular de forma irregular.

Quanto à metástase óssea, sabe-se que alguns tipos de câncer têm mostrado mais chances de desenvolver o tumor ósseo secundário. Entre eles, estão: o câncer de mama, próstata, rim e o câncer de tireoide.

Além disso, a exposição a altos níveis de radiação, síndromes genéticas e doenças pré-existentes (como a Doença de Paget), podem aumentar as chances de desenvolver um tumor ósseo.

Quais são os sinais e sintomas de câncer nos ossos?

Os primeiros sintomas do câncer ósseo podem ser dores intensas em determinadas partes do corpo e fraturas causadas pelo enfraquecimento dos ossos. Além disso, podem ser identificados níveis elevados de cálcio no sangue (hipercalcemia) e uma compressão da medula espinhal.

Quando há uma compressão da medula espinhal, o paciente pode apresentar alguns sintomas de tumor ósseo mais específicos, como, por exemplo: dores nas costas e no pescoço, dificuldades para urinar, fraqueza, dormência, e, em casos mais graves, a paralisia.

Lembre-se: para comprovar a doença, todos os sintomas de tumor ósseo apontados neste artigo deverão ser avaliados por médico oncologista.

Como é a dor do Câncer no osso?

A dor do câncer ósseo é progressiva. Geralmente, começa leve e pode melhorar com o uso de analgésicos, mas piora com o tempo, se tornando mais intensa, frequente e persistente. 

Além disso, uma das principais características da dor provocada pelo câncer nos ossos é um incômodo maior durante a noite ou quando o paciente está em repouso.

Como é feito o Diagnóstico?

O diagnóstico do câncer nos ossos pode ser feito por meio de exames de marcadores tumorais, exames de sangue e de urina, e exames de imagem — estes últimos correspondem à maneira mais eficaz de diagnosticar a doença.

Os exames mais indicados para este fim, e que são realizados no IMEB – Imagens Médicas de Brasília, são:

No vídeo abaixo, o Dr. Renato, médico especialista em medicina nuclear do IMEB, explica, com detalhes, como funciona o exame PET/C T. Assista:

Saiba mais sobre o exame em:

PET/CT (ou PET Scan): o que você precisa saber sobre o exame

Em pacientes em tratamento de outro tipo de câncer (como o câncer de mama, por exemplo), a cintilografia óssea pode ser muito eficaz na prevenção e tratamento precoce da metástase óssea. 

Lembre-se: é o médico quem irá determinar quais os exames que deverão ser realizados, com base no estágio da doença, sintomas apresentados pelo paciente, e o estado geral de saúde em que ele se encontra.

Existem outros exames que servem para avaliar a saúde dos ossos de uma forma geral. Saiba mais neste artigo:

Ortopedia: 5 exames para avaliar a saúde dos ossos

Tratamento do Câncer de Osso

O tratamento do câncer nos ossos vai depender de vários fatores, entre eles, o tipo de tumor (se é primário ou secundário), a gravidade (benigno ou maligno), e ainda o estado geral de saúde do paciente.

Geralmente, um tumor ósseo benigno primário não é cancerígeno, mas deve ser acompanhado com frequência, uma vez que pode comprometer a estrutura do osso e até causar uma metástase, dependendo do caso.

Já a metástase óssea é o tipo mais comum de câncer ósseo, e o tratamento mais adequado vai depender, além dos fatores mencionados anteriormente, do tipo de câncer que originou o tumor ósseo.

É possível tratar um câncer ósseo de forma local, buscando focar em apenas uma ou poucas células cancerígenas. Neste caso, é comum utilizar a radioterapia, a ablação, a cirurgia e o preenchimento ósseo.

Já a imunoterapia, a hormonoterapia e a quimioterapia podem ser utilizadas para tratar o câncer de forma sistêmica, destruindo as células cancerígenas em qualquer parte do corpo. 

Com o avanço da medicina, hoje é possível realizar a chamada terapia alvo para destruir as células cancerígenas sem comprometer as células normais do corpo. Na prática, isso significa maior eficácia no tratamento e menos efeitos colaterais da quimioterapia.

Leia também: Como prevenir o câncer? Diferença entre radioterapia e quimioterapia: os efeitos são os mesmos?

Câncer nos Ossos tem Cura?

Quando o câncer nos ossos é diagnosticado precocemente, as chances de cura e sucesso do tratamento são maiores. Porém, quando o tumor atinge estágios mais avançados, tende a se disseminar para outros órgãos do organismo, como o pulmão, dificultando o tratamento.

Além disso, também há o risco de volta do tumor após a conclusão do tratamento, em casos mais graves.

De qualquer forma, é importante ressaltar que, com a evolução da medicina, os tratamentos estão cada vez melhores e mais efetivos. 

Quando não se é possível curar a doença, o tratamento é capaz de controlar o câncer por períodos mais longos e garantir maior longevidade ao paciente.

Qual o tempo de vida de uma pessoa com Câncer nos Ossos?

O tempo de vida de uma pessoa com câncer nos ossos é variável. De modo geral, em torno de 70% dos pacientes com câncer ósseo vivem mais de 5 anos após o diagnóstico do tumor ósseo (essa taxa é chamada de “sobrevida”).

Os dados são da instituição americana American Cancer Society.

Deve-se ressaltar que a taxa de sobrevida não significa quanto tempo cada paciente com câncer viverá após descobrir que possui a doença. Essa taxa serve para que o médico e o paciente tenham uma melhor noção das chances de sucesso do tratamento.

Lembre-se: o tempo de vida de pacientes com câncer é variável, de acordo com aspectos como o quadro e a gravidade da doença, além de idade, condições de saúde e resposta do organismo ao tratamento.

É importante que procure uma orientação médica para entender as chances reais de cura do câncer ósseo e perspectivas de tempo de vida, de acordo com cada caso e cada paciente.

cancer no osso

Câncer na medula óssea

A medula é o material esponjoso dentro dos ossos. Localizadas profundamente na medula, estão as células-tronco, que podem se desenvolver em glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

O câncer de medula óssea ocorre quando as células da medula óssea começam a crescer de forma anormal ou em um ritmo acelerado. O câncer que começa na medula óssea é chamado de câncer da medula óssea, não câncer ósseo.

Outros tipos de câncer podem se espalhar para os ossos e medula óssea, mas não são câncer da medula óssea já que não começaram lá.

Tipos de câncer de medula óssea

1. Mieloma múltiplo

O tipo mais comum de câncer de medula óssea é o mieloma múltiplo. Tudo começa nas células plasmáticas. São glóbulos brancos que produzem anticorpos para proteger seu corpo de invasores estranhos.

Os tumores se formam quando seu corpo começa a produzir muitas células plasmáticas. Isso pode levar à perda óssea e diminuição da capacidade de combater infecções.

2. Leucemia

A leucemia geralmente envolve glóbulos brancos.

O corpo produz células sanguíneas anormais que não morrem como deveriam. À medida que seu número aumenta, eles aglomeram os glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas normais, interferindo em sua capacidade de funcionar.

A leucemia aguda envolve células sanguíneas imaturas, chamadas blastos, e os sintomas podem progredir rapidamente. A leucemia crônica envolve células sanguíneas mais maduras. Os sintomas podem ser leves no início, então é possível passar anos sem saber que tem.

Alguns tipos de câncer de medula óssea são muito mais agressivos do que outros. De modo geral, quanto mais cedo você descobrir o câncer, maiores são as chances de sobrevivência. A perspectiva depende de fatores exclusivos de cada caso, como a saúde geral, idade e como o paciente responde ao tratamento.

Deseja saber mais sobre o câncer? Então baixe gratuitamente nosso Ebook Tenho Câncer, e agora?. Estar bem informado também contribui para um bom tratamento!

Por: Dr. Renato Barra / Categoria: Combate ao câncer Destaque Home

17 de agosto de 2021

Conteúdos Relacionados

DICAS DE SAÚDE

Receba Dicas de Saúde Atualizadas